Menu

Cerca de 1300 adolescentes receberam vacinas não recomendadas pela Anvisa, em Minas

Minas Gerais vacinou 1.371 adolescentes com imunizantes não recomendados pela Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa). A agência só permitiu o uso da Pfizer para pessoas entre 12 e 17 anos do país, mas, segundo dados apresentados nesta quinta-feira (16) durante coletiva do Ministério da Saúde, o foram aplicadas 683 doses de AstraZeneca, 660 doses da Coronavac e 28 doses da Janssen em jovens desta faixa etária no Estado.

Ministro da Saúde falou sobre erros na vacinação de adolescentes durante coletiva nesta quinta-feira (16) Foto Foto: Fabio Rodrigues-Pozzebom/Agência BrasilMinistro da Saúde falou sobre erros na vacinação de adolescentes durante coletiva nesta quinta-feira (16) Foto Foto: Fabio Rodrigues-Pozzebom/Agência Brasil

Em Belo Horizonte, a prefeitura garantiu que nenhum adolescente foi vacinado com imunizante incorreto. A Secretaria Municipal de Saúde (SMSA) informou que aplicou pouco mais de 5 mil doses apenas em jovens com comorbidades, e todos receberam a Pfizer.

Durante a coletiva, Queiroga orientou aos adolescentes sem comorbidade, que foram vacinados, a não darem continuidade à vacinação. A recomendação de interromper a imunização também é válida para aqueles que possuem comorbidades mas que tomaram a primeira dose da AstraZeneca ou Coronavac. “Não vou permitir intercambialidade de dose”, reiterou o ministro durante a coletiva”.

Adolescentes com comorbidades imunizados com a vacina da Pfizer na primeira dose podem seguir com o processo de imunização e completar o ciclo vacinal.

Efeitos adversos

De acordo com o ministro da saúde, foram identificados 1,5 mil eventos adversos em adolescentes imunizados no Brasil. Todos eles de grau leve. Em São Paulo, porém, foi notificado um caso de morte. O episódio ainda está sendo investigado para avaliar se há alguma relação com o imunizante ou não.

Com O Tempo

 





Publicidade

Links patrocinados