Logo

Importunação sexual: homem com genitália exposta persegue mulheres e é preso em BH

Duas mulheres de 38 e 48 anos viveram momentos de terror ao serem perseguidas por um homem que colocou o pênis para fora da calça e começou a correr atrás delas na avenida Bias Fortes, no bairro de Lourdes, região Centro-Sul de Belo Horizonte, nesta quinta-feira (20).

Foto ilustrativa / reprodução: InternetFoto ilustrativa / reprodução: Internet

Elas avistaram agentes da Guarda Municipal da capital e pediram ajuda. As duas contaram que saiam do trabalho na avenida Santa Catarina quando o homem com a genitália exposta começou a correr atrás delas. As duas saíram correndo pela rua desesperadas até encontrarem os guardas, que foram atrás do suspeito e conseguiram encontrar o homem na região. Ele foi reconhecido pelas vítimas.

A Polícia Civil ratificou a prisão em flagrante do homem, de 47 anos, pelo crime de importunação sexual. Ele foi encaminhado e ouvido na Delegacia Especializada de Plantão de Atendimento à Mulher (Demid) e foi levado para uma unidade prisional. A PCMG não detalhou onde ele está preso.

Outras vítimas relatam importunação sexual

O recuo na parede branca em um imóvel na Rua Santa Catarina, quase esquina com Bias Fortes, parece inofensivo, mas era o ponto ideal para que o homem, de aparentemente 47 anos, pudesse se esconder para importunar sexualmente mulheres que trafegam pela calçada. E não precisava ser a noite, quando as vias estão mais escuras e ermas, para que ele pudesse 'atacar'.

Uma mulher de 47, que trabalha próximo ao local há quatro anos, narrou que foi vítima há menos de um mês. Ela pediu para não ser identificada. "Ele balançou o órgão genital para mim quando passei. Isso era de manhã, por volta de 7h", relata a vítima ao jornal O Tempo. A mulher ainda assustada pelo o que ocorreu, descreve que o lavador de carros serviu de guarda para que ela pudesse caminhar com tranqulidade até o serviço. "Tenho muito, mais muito medo de passar aqui a noite".

Segundo pessoas que trabalham próximo ao local, o lugar era usado também como banheiro a céu aberto por moradores de rua.

A porta-voz da sala de imprensa da Polícia de Minas Gerais, capitã Layla Brunnela, deu dicas de como as mulheres podem agir diante dessas situações. Uma das recomendações é que vítimas busquem de imediato um local público que tenha um número maior de pessoas que possam protegê-las.

Em seguida, recomendou que seja acionada imediatamente a Polícia e ou outro órgão público de segurança. “Este acionamento pode ser feito via 190, que é muito importante”. Layla Brunnela deu dicas também para o caso das situações em que a pessoa não encontre de imediato a polícia ou outras forças de segurança nas imediações.

“Buscar primeiro entrar em um comércio, entrar dentro de um estabelecimento comercial que possa ter alguém que ajude, que tenha ali uma supremacia no número de pessoas, isso vai resguardar a segurança dessa possível vítima e, na sequência esse acionamento seja 190, seja presencialmente da autoridade policial, para que realize a abordagem desse suspeito e possa efetuar a prisão, como aconteceu nesse caso.

Com O Tempo



Publicidade

© Copyright 2008 - 2022 SeteLagoas.com.br - Powered by Golbe Networks