Menu

Voo de mineiro ao espaço é adiado por problema após vistoria em foguete

A companhia Blue Origin anunciou nesta quarta-feira (18) que o voo espacial previsto para esta sexta-feira (20), nos Estados Unidos, precisou ser adiado. Entre os tripulantes da missão está o brasileiro Victor Correa Hespanha, de 28 anos, que é de Minas Gerais.

Tripulação da missão NS21 da Blue Origin, que inclui o brasileiro Victor Hespanha (de camiseta azul clara, ao centro) — Foto: Reprodução/TwitterTripulação da missão NS21 da Blue Origin, que inclui o brasileiro Victor Hespanha (de camiseta azul clara, ao centro) — Foto: Reprodução/Twitter

A empresa do magnata Jeff Bezos ainda não anunciou uma nova data para a decolagem. Em post nas redes sociais, afirmou que o adiamento aconteceu após checagem no sistema do foguete New Shepard.

"Durante nossas verificações finais do veículo, observamos que um dos sistemas de backup do New Shepard não estava atendendo às nossas expectativas de desempenho. Com muita cautela, adiaremos o lançamento do #NS21 originalmente programado para sexta-feira. Fique ligado para mais atualizações", escreveu a empresa no Twitter.

Nas redes sociais, o brasileiro comentou sobre o adiamento e enfatizou que está tranquilo.

"A gente teve a notícia que estão trabalhando em algumas redundâncias do foguete e infelizmente não será na sexta. Claro que estava com a expectativa altíssima, mas é de praxe das empresas. Outras missões foram adiadas por questões de segurança, vento e clima. Agora, estão tratando a redundância para ser o mais seguro possível", afirmou.

"Esse tipo de viagem tem que ser 150% segura tecnicamente. Não pode ter um tipo de falha. A gente fica feliz e entendemos o cuidado de Deus para minha vida. A missão continua. Eles vão avisar quando será marcada", disse Victor.

Victor também afirmou que ainda não sabe se vai voltar ao Brasil ou continuar nos Estados Unidos.

"Eles estão bem tranquilos e avisando como vai ser. A equipe é sensacional. Um dos astronautas veio falar que isso acontece e tranquilizar. E é isso aí. Vamos ter até mais tempo para contar mais coisas E agora vou fazer massagem para relaxar e esperar todas as notícias. Vamos entender toda a logística", ressaltou.

Seleção

Victor é engenheiro de produção e foi sorteado para ser um dos seis tripulantes da missão NS-21 após comprar pela primeira vez um NFT (token não fungível) pela Crypto Space Agency (CSA). O investimento foi de R$ 4 mil.

A CSA, que pagou pela passagem, é uma empresa que diz ter a missão de unir a tecnologia da indústria espacial com o mercado de criptomoedas. Em 25 de abril de 2022, ela colocou 5.555 NFTs à disposição do público e afirmou que um dos donos teria a chance de viajar ao espaço.

Cinco dias depois, em 30 de abril, foi feito um sorteio e o selecionado acabou sendo o brasileiro, que comprou o item para diversificar seus investimentos.

"É assustador, nunca pensei [que conseguiria], sou pessoa comum, mas estou tendo essa oportunidade incrível. Isso é para mostrar que viagem ao espaço não é só coisa de bilionário", disse ao g1 Minas Gerais após saber que havia sido escolhido.
Segundo brasileiro no espaço

O mineiro se tornará o primeiro turista espacial brasileiro e o segundo a viajar ao espaço, depois do então astronauta Marcos Pontes, em 2006.

Nas redes sociais, Victor prometeu que vai mostrar todos os passos até o dia da decolagem.

Com g1



Publicidade

Links patrocinados MGID