Menu

Justiça desbloqueia dinheiro de construtoras responsáveis por queda de viaduto em BH

A Justiça determinou o desbloqueio de cerca de R$ 33 milhões das contas da construtora Cowan e da empresa Consol, que pertencem ao mesmo grupo. O dinheiro havia sido bloqueado em 2020 a pedido do Ministério Público de Minas Gerais (MPMG) após o viaduto Guararapes, construído pelo grupo, ter caído em julho de 2014. Uma mulher morreu e 23 pessoas ficaram feridas.

Foto: Lincon Zarbietti/O Tempo/Futura PressFoto: Lincon Zarbietti/O Tempo/Futura Press

O MPMG argumentou que as empresas provocaram um prejuízo aos cofres públicos por não terem seguido as normas de segurança de engenharia durante a construção do viaduto.

O juiz Wauner Machado, da 3ª Vara de Feitos da Fazenda Pública Municipal de Belo Horizonte, aceitou o recurso do grupo de construtoras por entender que o bloqueio dos valores não seria mais válido em função de recursos que foram feitos no decorrer do processo.

Relembre o caso

Em 3 de julho de 2014, uma das alças do viaduto Batalha dos Guararapes - que ainda estava em construção - desabou sobre a avenida Pedro I, na região Norte de Belo Horizonte. Um micro-ônibus que passava pelo local teve a frente esmagada e a motorista do veículo, Hanna Cristina dos Santos, que tinha 24 anos, morreu na hora. Além da vítima, outras 23 pessoas ficaram feridas

Mais de seis anos depois, a Justiça mineira condenou, em primeira instância, seis engenheiros que participaram da obra.

Da redação com Hoje em Dia



Publicidade

Links patrocinados MGID