Menu

Travesti agride grávida de 16 anos e esfaqueia outra mulher no edifício Acaiaca, em BH

Uma confusão generalizada terminou com uma mulher de 18 anos esfaqueada, uma grávida, de 16, machucada e uma travesti presa na tarde desta sexta-feira (20). Parte da confusão foi registrada em um salão de beleza em uma sala alugada no Edifício Acaiaca, no centro de Belo Horizonte.

Caso aconteceu em um dos edifícios mais importantes da cidade/ Foto: Uarlen ValerioCaso aconteceu em um dos edifícios mais importantes da cidade/ Foto: Uarlen Valerio

De acordo com o boletim de ocorrência da Polícia Militar, durante rastreamento, militares foram informados da briga no imóvel, localizado na avenida Afonso Pena.

No local fizeram a prisão da travesti, de 20 anos, que estava com uma faca na cintura. Ela disse que, na parte da manhã, teve um desentendimento com a jovem de 18 anos por ter se relacionado com o namorado dela.

Durante o atrito, um grupo de moradores de rua teria agredido o suspeita com pauladas. Em seguida, a travesti teria sido ameaçada com uma faca e resolveu usar o instrumento para golpear o desafeto. O objetivo seria matá-la, segundo a agressora.

A vítima foi atingida três vezes no braço, dorso e perna. Ela foi encaminhada ao Hospital de Pronto Socorro João XXIII. Em conversa com a polícia, ela contou que, com outras pessoas, foi tirar satisfações com a suspeita após a travesti socar a barriga da adolescente, que está grávida.

O motivação da agressão contra a menor não foi esclarecido. A garota precisou ser encaminhada à Maternidade Odete Valadares e estava com suspeita de aborto. A travesti foi encaminhada à Central de Flagrantes 2 (Deplan).

A reportagem entrou em contato com a administração do edifício, mas a equipe não vai se posicionar por não conhecimento total dos fatos e pela ocorrência ter sido registrada em uma sala alugada. No salão, as ligações não foram atendidas.

Tentativa de agressão contra militar

Durante o registro da ocorrência, um homem de 26 anos, que aparentava estar sob efeito de drogas, tentou agredir um militar, segundo a polícia.

Ele estava na porta do edifício quando os policiais chegaram e correu para uma sacada. Agitado, ele demonstrou a intenção de agressão e, para se defender, um dos policiais atirou contra a perna do homem, que foi levado para o João XXIII. Ele contou à equipe policial que havia feito uso de cocaína.

Com O Tempo

 




Publicidade

Links patrocinados