Menu

Golpista, que dizia ser de Sete Lagoas, debocha da vítima após roubar R$ 11 mil em negociação falsa de carro

Um homem, de 31 anos, morador do bairro Tupi, em Belo Horizonte, teve um prejuízo de R$ 11 mil na semana passada após vítima de um golpe. Ele tentava comprar um carro para a família depois que a companheira ficou grávida, quando foi vítima da prática criminosa. À reportagem, a vítima, que preferiu não ser identificada, disse que dinheiro perdido foi fruto de um acerto salarial com empresa em que trabalhou por quase 10 anos, além de economias.

Foto: Arquivo PessoalFoto: Arquivo Pessoal

Ele contou ter visto anúncio, no Facebook, de um veículo modelo Volkswagen Voyage, ano 2015, que era vendido a R$ 21 mil. Ao entrar em contato com o anunciante fez uma proposta para que o negócio fosse fechado por R$ 18 mil. A oferta foi aceita.

A negociação seguiu pelo aplicativo de mensagens instantâneas WhatsApp. O golpista se apresentou como Carlos e disse que era morador de Sete Lagoas, região Central de Minas Gerais. Ao tratar da venda, disse que o carro estava com um suposto irmão, no bairro Saudade, região Leste de Belo Horizonte.

Em paralelo à essa negociação, o golpista tramava a outra parte do plano, que envolvia o real proprietário do Voyage, que também não será identificado. Ele vendia o automóvel por meio de um anúncio na plataforma OLX e fechou negócio com Carlos por R$ 25 mil. O golpista copiou as informações do anúncio na OLX, inclusive fotos e descrição, para anunciar o carro no Facebook e fazer o homem de 31 anos de vítima.

Em contato com o dono do Voyage, o golpista disse que estava em Sete Lagoas e que um amigo seria responsável por avaliar o veículo. O amigo, neste caso, seria a futura vítima do golpe. Para o homem que acreditava comprar o veículo por R$ 18 mil, Carlos disse que o irmão dele seria responsável por repassar o carro.

O golpista pediu que o dono do carro se passasse por irmão dele e justificou, alegando que esta seria a melhor forma de concretizar o negócio porque os valores entrariam para liquidar uma dívida entre eles. Já para o homem que comprava o carro, Carlos falou que o irmão seria o responsável por mostrar o veículo, mas que não era para citar valores já que o irmão pretendia ficar com o carro e estava chateado com a venda.

Encontro

O vendedor e o interessado em comprar o veículo se encontraram na tarde de quarta-feira (11), no bairro Carlos Prates, região Noroeste de Belo Horizonte. Após analise do carro, ficou decido que o negócio seria fechado.

O golpista orientou que a vítima realizasse três depósitos em contas diferentes, totalizando R$ 11 mil. Os R$ 7 mil restantes seriam pagos no dia seguinte. O homem seguiu as recomendações e fez a transferência, enquanto o vendedor aguardava o dinheiro cair em conta, o que não aconteceu.

Após cerca de cinco horas de espera, o vendedor do veículo recebeu uma mensagem de Carlos que revelou o golpe. “Não vai cair dinheiro na sua conta. Na verdade, o rapaz caiu num golpe. Você avisa que ele caiu em um golpe. Ele está achando que você é meu irmão, você não é. Você explica ele certinho. Resolve e se entende com o moço aí. Abraço e fica com Deus”.

À reportagem, a vítima se disse frustrada com o golpe. Segundo ele, no Facebook, outras duas pessoas manifestaram terem sido vítimas do mesmo golpe.

A Polícia Civil (PC) foi acionada para investigar o caso.

Com Itatiaia

 




Publicidade

Links patrocinados