Menu

PMs dão ‘mata-leão’ e socos em homem durante abordagem no interior de Minas

A Polícia Militar abriu inquérito para investigar a conduta de dois agentes flagrados aplicando um "mata-leão" - golpe de estrangulamento - em um homem negro. O caso aconteceu na última quinta-feira (29), em João Monlevade, na região Central de Minas.

Populares registraram a ação dos militares na abordagem - Foto: TV Globo/ReproduçãoPopulares registraram a ação dos militares na abordagem - Foto: TV Globo/Reprodução

Em imagens registradas por populares, é possível ver os militares imobilizando o rapaz, que também é atingido com socos. Uma mulher tenta impedir a ação e é empurrada por um dos PMs. É neste momento que o outro militar dá o "mata-leão".

No boletim de ocorrência (BO), a PM registrou que o rapaz, de 38 anos, foi abordado em uma distribuidora de bebidas, no bairro Cruzeiro Celeste, por volta das 18h45, após insultar os policiais que passavam na rua em uma viatura.

Depois do xingamento, de acordo com a corporação, os militares se aproximaram do homem, mas ele teria se recusado a obedecer a ordem de colocar as mãos na cabeça. O rapaz ainda teria dito: "não sou bandido não, seus porra".

Com o novo desacato, conforme consta no BO, o suspeito recebeu voz de prisão. Contudo, resistiu à prisão e tentou se desvencilhar dos agentes. "Foi então que, na tentativa de algemação, o autor desferiu golpes contra o militar. Para contê-lo, os militares utilizaram de técnicas de contenção, quebra de resistência e controle de contato, além de imobilização preconizada pela Polícia Militar", descreveu a corporação no documento oficial.

Durante a ação, a estufa de salgados da distribuidora foi danificada. Populares que estavam no local, e consideraram a ação truculenta, insultaram os dois militares. No caso da mulher empurrada, a PM informou no BO que ela puxou um dos policiais pelo braço, mesmo tendo sido alertada para se afastar. "Sendo utilizado técnica de menor potencial ofensivo", justificou os agentes.

Com a confusão, mais viaturas chegaram ao local e os populares foram dispersados. O homem golpeado foi levado para o Hospital Margarida, onde foi constatado escoriações. Depois de liberado, ele foi conduzido para a delegacia por desacato, desobediência e resistência.

Investigação

Após a repercussão do caso, a PM informou que vai apurar se houve excesso por parte dos agentes. "A Polícia Militar recebeu as imagens da ação policial, da cidade de João Monlevade, bem como está de posse do Registro de Evento de Defesa Social, para análise e adoção de medidas cabíveis, incluindo a apuração dos fatos", disse em nota.

Mas frisou que a conduta da corporação é pautada em "ações táticas, técnicas policiais, cadernos doutrinários e seus Manuais de Procedimentos Operacionais e na garantia dos Direitos Humanos".

Com relação ao rapaz, a Polícia Civil declarou que ele teve a prisão em flagrante ratificada pelos crimes de desacato e resistência. "Após o pagamento da fiança, arbitrada no valor de R$ 1.100,00, ele foi liberado", destacou a instituição.

Com O Tempo





Publicidade

Links patrocinados