Menu

Candidato a prefeito é preso suspeito de comprar votos de servidores no Triângulo Mineiro

O vice-prefeito de Perdizes, no Triângulo Mineiro, Vinícius Barreto (Cidadania), que atualmente concorre ao cargo de prefeito da cidade, foi preso na manhã desta sexta-feira (16) suspeito de coação e trocar votos por doação de materiais, prática conhecida como voto de cabresto. Outros dois funcionários da prefeitura foram detidos temporariamente por participarem do esquema.

Vinícius Barreto chegou a assumir a prefeitura entre 2017 e 2020 |Foto: Facebook / divulgaçãoVinícius Barreto chegou a assumir a prefeitura entre 2017 e 2020 |Foto: Facebook / divulgação

Conforme as investigações, coordenadas pela 7ª Delegacia de Polícia Civil de Perdizes, o grupo criminoso usava a máquina pública para deturpar o processo eleitoral. Eles coagiam os próprios servidores, principalmente os comissionados, a votarem em Barreto. Para isso, eles ofereciam às vítimas materiais de construção, como tijolos, cimento, areia, telhas e portas

Segundo a Polícia Civil, os presos também tentaram ocultar provas e dificultar as investigações.

Durante a operação, intitulada "Voto de Cabresto", e que foi deflagrada em conjunto com o Ministério Público de Minas Gerais (MPMG), também foram cumpridos 15 mandados de busca e apreensão, incluindo buscas na casa de dois vereadores de Perdizes, cujos nomes não foram divulgados.

Também foram feitas buscas e apreensões na prefeitura, na Câmara Municipal de Perdizes e ainda em dois estabelecimentos comerciais, sendo recolhidos documentos, dinheiro, aparelhos celulares e computadores utilizados no desenvolvimento das atividades ilícitas.

Participaram da operação mais de 20 policiais civis de Uberaba, na mesma região, e policiais da Coordenadoria de Recursos Especiais (CORE/PCMG).

Posição

A reportagem de O TEMPO tentou entrar em contato com a prefeitura de Perdizes e com a Câmara de Vereadores, mas sem sucesso. A defesa de Vinícius Barreto, que já teve a sua candidatura deferida pelo Tribunal Superior Eleitoral (TSE), não foi localizada.

Histórico

Barreto foi eleito vice-prefeito de Perdizes em 2016 na chapa de Fernando Marangoni, que, em 2017, após uma operação realizada pelo Grupo de Atuação Especial de Combate ao Crime Organizado (Gaeco) do MPMG, acabou preso em Uberlândia acusado de corrupção passiva.

Com isso, Barreto assumiu a prefeitura até maio de 2020, quando a Justiça anulou o pedido de renúncia Marangoni, que foi reconduzido ao cargo.




Publicidade
Publicidade

Links patrocinados