Menu

Mais uma vez, pandemia domina pronunciamentos dos vereadores em sessão Ordinária

Os 20 textos que compuseram a pauta da Reunião Ordinária desta terça-feira (6) foram aprovados com tranquilidade pelos vereadores. Durante a sessão, mais uma vez, a pandemia foi um dos assuntos mais comentados durante as manifestações na comunicação pessoal. Solidariedade com as famílias devastadas pela Covid-19 foi o ponto em comum.

Foto: Ascom Câmara MunicipalFoto: Ascom Câmara Municipal

Na pauta, um o Anteprojeto de Lei (APL) 176/2021, de João Evangelista (PSDB), foi bastante comemorado. O texto “dispõe sobre a instalação de piso tátil para demarcar a localização de equipamentos e obstáculos em áreas públicas e de faixa de travessia de pedestres em vias públicas do município de Sete Lagoas”.

Outros textos aprovados foram o APL 226/2021 do vereador Gilson Liboreiro (SD). O texto “institui o programa de apoio aos bares, restaurantes e demais estabelecimentos similares, com a isenção de impostos municipais, em consequência dos efeitos causados pelas medidas de isolamento relacionadas ao estado de emergência em decorrência da pandemia causada pelo coronavírus (covid-19). ”

O presidente do Legislativo, Pr. Alcides (PP), com atuação na área da saúde teve aprovado o APL 55/2021. O projeto “dispõe sobre medidas para a identificação, tratamento e acompanhamento de educandos com dislexia e/ou TDAH na rede municipal de educação e dá outras providências”.

Rodrigo Braga (PV) espera mais segurança para diretores das escolas com o APL 83/2021 que foi aprovado por unanimidade. O texto “autoriza ao Poder Executivo disponibilizar aos diretores das escolas municipais de Sete Lagoas, o dispositivo de segurança, conhecido como botão do pânico”.

Neste link você acompanha a pauta na íntegra. Abaixo tem os destaques dos vereadores na comunicação pessoal.

Gilson Liboreiro (SD): Queria enviar minhas condolências a todas as famílias enlutadas por conta da pandemia, no fim de semana foram 20 óbitos. Falar sobre o comunicado do HNSG que suspendeu o atendimento de particulares, temos conversado com vários órgãos porque a entidade atende convênios como IPSEMG e nesse momento ficam sem proteção. Fomos na secretaria de Estado e conseguimos um socorro e continuamos acompanhando essa questão porque preocupa muito.

Janderson Avelar (MDB): Quero pedir a todos os pais que vacinem seus filhos contra doenças como tétano, difteria e outras. Por conta do medo da Covid- 19 pais têm deixado de vacinar os filhos, mas é preciso levar as crianças para vacinar, todos os protocolos de segurança são seguidos. Fizemos visitas no fim de semana e percebemos muitas pessoas entrando em situação de calamidade, começando a faltar comida.

José de Deus (REP): As instituições de saúde da cidade, entre elas o pronto atendimento e o Hospital Municipal viram a demanda de trabalho crescer absurdamente o que trouxe o aumento de insegurança. Em conversa com um servidor ele relata que durante o turno passa por situações que trazem medo e temor porque não possui treinamento adequado para assistência aos familiares por conta do nervosismo. Os servidores precisam acionar a polícia. Pedir ajuda ao Executivo nessa situação.

Carol Canabrava (Avante): Falar da campanha vacina solidária que encabecei, fui marcada em um post sobre a campanha. Fiz estudos para saber a viabilidade a passei para o Executivo. Fiquei muito feliz porque o prefeito acatou e viabilizou por meio de um decreto. Qualquer cidadão pode levar um alimento para doação quando for se vacinar. Vamos tentar abrir para mais pessoas também.

Roney do Aproximar (PSL): Parabenizar quem teve uma boa páscoa, momento de renascimento. Prestar meus sentimentos a familiares que perderam entes para a Covid. Parabenizar a secretaria de Saúde porque moradores do bairro Nossa Senhora das Graças me disseram que foram muito bem atendidos na vacinação.

Junior Sousa (MDB): Falar do Requerimento 1466 que apresentei com relação ao IPTU, é uma proposta de prorrogação no pagamento do IPTU. Perguntaram por quê não diminuir, por quê não um novo estudo. Porque é prerrogativa do Executivo, temos que propor ações, essa é nossa obrigação. Falar também sobre o cronograma que vacinação e pedir aos colegas para esclarecer sobre a segunda dose, ainda tem muita gente com dúvidas.

Marli de Luquinha (MDB): Prestar minhas sinceras condolências aos familiares das vítimas da Covid. Reforçar a necessidade de cumprir todos os protocolos de segurança. Cada um de nós precisa fazer a nossa parte.

Caio Valace (Podemos): Falar sobre um Requerimento com um pedido ao secretário municipal de Saúde, Flávio Pimenta, para inquerir ao HNSG sobre a fila de espera para os pacientes da oncologia realizarem exames. E saber sobre os repasses para a instituição com relação a tomografia.

Ivan Luiz (Patri): Hoje venho externar minha preocupação porque recebi várias denúncias com aglomerações no fim de semana. Gostaria de perguntar até que ponto somos educados para entender a gravidade dessa pandemia. Será que vai precisar morrer alguém da nossa família para entendermos a gravidade da doença. Lamento muito a nossa educação.

Rodrigo Braga (PV): Tenho recebido mensagens de pessoas reclamando de pessoas ateando fogo na cidade, estamos em um período seco e isso aumenta a probabilidade de esse fogo se alastrar. Venho solicitar das autoridades competentes fiscalização e punições para essas pessoas. Queria pedir para inserir os brigadistas junto aos agentes de segurança para receberem a vacina com prioridade.

Heloísa Frois (Cidadania): Manifestar meus pêsames às famílias enlutadas. Essa nova cepa da Covid não escolhe crença, classe social e está levando várias pessoas a óbito. Quero pedir para a secretaria de Saúde que tendo vacina em estoque não interrompa a vacinação nos fins de semana e nos feriados para que possamos avançar e que mais pessoas possam receber. Faço grande apelo para que a vacinação não seja interrompida. Já conversei com profissionais que que se dispuseram em trabalhar de forma escalonada para vacinar.

Ivson (Cidadania): Quero reforçar o compromisso que firmamos de enviar ao Executivo um Manifesto com medidas econômicas e sociais. Estamos explicitando que nesse ano o Executivo não tomou medidas econômicas nem sociais. Precisamos cobrar isso, a população espera de nós sempre um algo a mais. Vamos provocar o Executivo e cumprir a nossa missão já que o Executivo não toma medida alguma.

Pr. Alcides (PP): Na última semana foi o Dia mundial, 2 de abril, da consciência do autismo. Temos a lei 8.240 de 2013 que institui o Dia Municipal do Autismo e a lei 54/2021 sobre o centro de apoio as pessoas com deficiência TEA e doenças raras. É uma questão a ser levada em consideração porque toda família é absorvida quando existe casos. Pedir, mais uma vez, a reabertura das atividades econômicas dentro dos protocolos.

Com Ascom Câmara Municipal





Publicidade

Links patrocinados