Menu

Deputados da Assembleia brigam por conta de homenagem a jogador Hulk

A Assembleia Legislativa de Minas Gerais (ALMG) aprovou nesta quinta-feira (23) a concessão do título de cidadão honorário para o atacante do Atlético, Hulk. A proposta, que recebeu 53 votos favoráveis e nenhum voto contrário, causou uma briga entre o presidente da ALMG, Agostinho Patrus (PSD) e a deputada estadual Laura Serrano (Novo).

Foto: Pedro Souza / AtléticoFoto: Pedro Souza / Atlético

Além dela, Guilherme da Cunha (Novo) e Bartô (PL) votaram em branco. Durante a discussão do projeto, a parlamentar do Novo disse que estava indignada porque, dos 26 projetos na pauta da reunião, oito tratavam de cidadania honorária ou declaravam festas, eventos e pontos turísticos como de relevante interesse cultural para Minas Gerais.

“Eu queria destacar a minha indignação com esses tipos de votação que temos aqui na Assembleia e que tomam muito do tempo dos parlamentares. Não tem nada a ver com o Hulk, atleta que eu admiro e merece reconhecimento, mas esses projetos na prática não afetam quase nada ou muito pouco da vida do cidadão na ponta”, afirmou Laura Serrano.

Ela destacou que projetos que considerava importantes que fossem votados, como o Regime de Recuperação Fiscal e a criação de blocos de saneamento, não são colocados na pauta. “Será que de fato essa é a prioridade que deveríamos estar votando neste momento? Estamos em um Estado em que as regiões não têm acesso ao saneamento básico e crianças morrem de doença diarreica. Os blocos de saneamento, que têm potencial para aumentar a universalização do serviço, estão parados há mais de um ano”, afirmou.

Como resposta, Agostinho Patrus criticou a visão da deputada que, segundo ele, mede a eficiência da atividade parlamentar pelos recursos economizados no mandato e não pelas melhorias realizadas na vida da população.

Ele chamou de “covardes” os parlamentares que são contra o projeto, mas votam em branco por falta de coragem. “Alguém que sobe na tribuna para poder chamar a atenção de 76 deputados com a autoridade de quem, na vida, escreveu na sua internet ‘eu diminui meu custo em R$ 10’. Parabéns. Esse é o resultado que deu a Minas. Não melhoraram a vida de ninguém, não atenderam aos pobres”, rebateu Agostinho.

“Quer vir aqui chamar a atenção dos outros, mas a única coisa que fez na vida foi apresentar um relatóriozinho de que não gastou R$ 3 mil de despesa na Assembleia. Parabéns, vão ficar na história assim, vão passar pra história assim”, continuou o presidente da ALMG.

Após a confusão no plenário, Laura Serrano divulgou uma nota em que diz que economizou R$ 8 milhões durante seu mandato e que o dinheiro foi revertido em melhorias efetivas para os cidadãos mineiros.

Com O Tempo



Publicidade

Links patrocinados MGID