Menu

Haddad defende imposto global e pede por ação conjunta no G20 para combater desigualdade e mudança climática

Haddad concluiu seu discurso durante a 1ª Reunião de Ministros de Finanças e Presidentes de Bancos Centrais da Trilha de Finanças do G20, realizada nesta quarta-feira (28), instando os países membros a adotarem uma abordagem mais inclusiva e sustentável para enfrentar os desafios globais. Ele enfatizou a importância de colocar a justiça fiscal, a redução da desigualdade e a mitigação das mudanças climáticas no cerne de suas agendas políticas e econômicas.

Imagem: Agência BrasilImagem: Agência Brasil

O ministro da Fazenda, Fernando Haddad, apresentou uma proposta ousada, chamando os países a se unirem para taxar as grandes fortunas como forma de garantir uma contribuição mais equitativa dos bilionários nos impostos globais. Ele ressaltou a necessidade de avançar nas negociações em curso na OCDE e ONU.

Além da questão fiscal, Haddad abordou os desafios da desigualdade e das mudanças climáticas como temas centrais a serem enfrentados coletivamente pelos países do G20. Ele destacou a necessidade de uma nova abordagem para a globalização socioambiental, onde a desigualdade social é considerada crucial para a análise das políticas econômicas.

Haddad relacionou a disparidade entre os super-ricos e as populações mais pobres ao desafio climático, alertando que a crise climática se tornou uma emergência global, com os países menos desenvolvidos sendo os mais afetados por seus impactos.

Diante desse cenário, o ministro defendeu a necessidade de uma nova compreensão da globalização e da cooperação internacional, diferente do modelo predominante até a crise financeira de 2008, que resultou em grandes perdas socioeconômicas.

Os cinco homens mais ricos do mundo viram suas fortunas mais que dobrarem desde 2020, atingindo a marca de US$ 869 bilhões, enquanto quase cinco bilhões de pessoas enfrentam uma crescente pobreza, revela o relatório "Desigualdade S.A." da Oxfam. A organização alerta para a possibilidade de o mundo ter seu primeiro trilionário em uma década, enquanto a erradicação da pobreza pode levar mais de dois séculos.

A desigualdade também se reflete no Brasil, onde o rendimento médio das pessoas brancas é mais de 70% superior ao das pessoas negras, e o 0,01% mais rico detém surpreendentes 27% dos ativos financeiros do país, enquanto os 50% mais pobres têm acesso a apenas 2%.

A Oxfam defende a urgência de medidas para interromper esse ciclo de acumulação de riqueza, incluindo a implementação de serviços públicos eficientes, regulamentação de empresas, quebra de monopólios e criação de impostos permanentes sobre riqueza e lucros excedentes.

Da Redação com Agência Brasil

Clique e siga as redes sociais do SeteLagoas.com.br para ficar bem informado: InstagramTwitterThreadsYouTubeTikTok e Facebook

Receba as notícias do SeteLagoas.com.br via Whatsapp AQUI



Publicidade

+ Política

 5 a 2: Moro é absolvido das acusações de abuso de poder econômico pelo TRE-PR e evita a cassação

5 a 2: Moro é absolvido das acusações de abuso de poder econômico pelo TRE-PR e evita a cassação

O Tribunal Regional Eleitoral do Paraná (TRE-PR) absolveu, nesta terça-feira (9), o senador Sergio Moro (União Brasil) d...

Câmara dos Deputados aprova projeto que traz de volta o DPVAT, em vitória do Governo Lula

Câmara dos Deputados aprova projeto que traz de volta o DPVAT, em vitória do Governo Lula

Na noite de terça-feira (9), a Câmara dos Deputados aprovou o Projeto de Lei Complementar (PLP) 233/2023, que visa resta...

Desembargador vota para cassar mandato de Moro; placar está em 3 a 2 a favor do senador

Desembargador vota para cassar mandato de Moro; placar está em 3 a 2 a favor do senador

O Tribunal Regional Eleitoral do Paraná (TRE-PR) prosseguiu nesta tarde de terça-feira, 9, com o julgamento que pode lev...

Ministra da Saúde deu R$ 51 milhões a mais para cidade que emprega seu filho como secretário

Ministra da Saúde deu R$ 51 milhões a mais para cidade que emprega seu filho como secretário

A cidade de Cabo Frio, no Rio de Janeiro, recebeu um montante de R$ 51 milhões a mais do que o previsto em uma portaria ...

Troca partidária: confira novas legendas dos vereadores de Sete Lagoas

Troca partidária: confira novas legendas dos vereadores de Sete Lagoas

Faltando pouco mais de seis meses para o pleito municipal de 2024, os edis de Sete Lagoas já se movimentam: 13 dos 17 ve...

Moraes mantém jornalista preso por mais de um ano, sem denúncia, por críticas ao STF

Moraes mantém jornalista preso por mais de um ano, sem denúncia, por críticas ao STF

Um profissional da imprensa de 60 anos, residente no interior do Espírito Santo, foi detido por mais de um ano s...

CORREÇÃO: Governo não discute romper contrato com Elon Musk para fornecimento de internet a escolas e aldeias indígenas

CORREÇÃO: Governo não discute romper contrato com Elon Musk para fornecimento de internet a escolas e aldeias indígenas

Diferentemente do informado antes, o governo brasileiro não está considerando a possibilidade de revisar os contratos qu...

Grupo do prefeito Duílio de Castro mostra força e deve eleger maioria absoluta dos vereadores na eleição de 2024

Grupo do prefeito Duílio de Castro mostra força e deve eleger maioria absoluta dos vereadores na eleição de 2024

A cena política está fervendo na cidade. A competição pelos pré-candidatos a vereadores intensificou-se nos bastidores d...

Juca Bahia transfere domicílio eleitoral para Sete Lagoas

Juca Bahia transfere domicílio eleitoral para Sete Lagoas

O ex-prefeito de Paraopeba e candidato a deputado federal nas eleições de 2022, Juca Bahia, transferiu seu domicílio ele...

Popularidade de Lula desaba mais de 10 pontos no Nordesde, reduto histórico do PT

Popularidade de Lula desaba mais de 10 pontos no Nordesde, reduto histórico do PT

A popularidade de Luiz Inácio Lula da Silva, especialmente no Nordeste, um tradicional reduto do Partido dos Trabalhador...

O SeteLagoas.com.br utiliza cookies e outras tecnologias para melhorar a sua experiência!
Termos