Menu

Haddad busca apoio judicial para "congelar" R$ 24 bilhões em créditos tributários de empresas

O Ministro da Fazenda, Fernando Haddad, está contando com o suporte do Judiciário para alcançar a economia fiscal de R$ 24 bilhões que ele espera obter este ano, limitando as compensações tributárias a que as empresas têm direito.

Grandes corporações, afetadas pela decisão governamental de limitar o reembolso de créditos, têm buscado a Justiça para contornar a restrição imposta pela Medida Provisória 1202/2023, promulgada pelo governo no final do ano passado.

(Foto: Evaristo Sá/AFP)(Foto: Evaristo Sá/AFP)

Essa questão tem dividido as instâncias judiciais e a perspectiva é desafiadora para as empresas, expondo as controvérsias do enorme contencioso tributário brasileiro.

O governo espera mais uma vez contar com a boa vontade do Supremo Tribunal Federal (STF), que terá a palavra final sobre as pendências.

Os créditos tributários são resultantes de decisões judiciais contra o Fisco em que não cabem mais recursos. Grande parte do contencioso está ligada ao Tema 69, a chamada "tese do século", decisão do STF que excluiu o ICMS, principal imposto estadual, da base de cálculo do PIS e da Cofins, de âmbito federal.

Com essa decisão, as empresas ganharam o direito de deduzir, dos impostos que têm a pagar à Receita Federal, o valor que a Justiça reconheceu ter sido cobrado indevidamente.

O que a MP 1202 fez foi limitar essa dedução. Segundo portaria publicada pela Fazenda após a MP, os créditos acima de R$ 10 milhões serão compensados escalonadamente, em um período que pode variar de 12 a 60 meses, dependendo do valor envolvido.

Quanto maior o crédito da empresa, mais tempo levará a compensação integral. Isso significa que parte do crédito a que a empresa tem direito - dinheiro que, na prática, é dela, pois se refere a impostos que ela não deveria ter pago - fica temporariamente "congelado".

Por um lado, tal bloqueio piora temporariamente as finanças daquela empresa. Por outro lado, melhora - também temporariamente - o resultado primário das contas do governo.

Esse escalonamento foi a maneira encontrada pelo governo de Luiz Inácio Lula da Silva (PT) para reduzir o impacto das compensações tributárias nas contas públicas, dentro da cruzada do ministro Haddad para providenciar R$ 168 bilhões e cumprir a meta de zerar o déficit primário em 2024, estabelecida pelo arcabouço fiscal.

A equipe econômica apostou no limite de créditos tributários após a divulgação dos números do primeiro ano do governo Lula. Segundo dados da Receita Federal, o aumento expressivo das compensações em 2023 reduziu a arrecadação da União em R$ 242 bilhões, o que equivale a 2,2% do Produto Interno Bruto (PIB).

da redação com GP

Clique e siga as redes sociais do SeteLagoas.com.br para ficar bem informado: InstagramTwitterThreadsYouTubeTikTok e Facebook

Receba as notícias do SeteLagoas.com.br via Whatsapp AQUI



Publicidade

+ Política

Projeto de Pacheco quer federalizar Codemig, Cemig e Copasa para reduzir dívida de Minas

Projeto de Pacheco quer federalizar Codemig, Cemig e Copasa para reduzir dívida de Minas

A federalização das estatais mineiras Codemig, Cemig e Copasa abateriam R$ 80 bilhões, metade da dívida, que, com ...

Anatel promete agilidade na remoção de sites durante as eleições de 2024

Anatel promete agilidade na remoção de sites durante as eleições de 2024

O presidente da Agência Nacional de Comunicações (Anatel), Carlos Baigorri, afirmou que a Anatel planeja agir com m...

Reajuste de 5% e gasto de R$ 42 bilhões por ano: entenda a PEC que turbina benefícios de juízes

Reajuste de 5% e gasto de R$ 42 bilhões por ano: entenda a PEC que turbina benefícios de juízes

O 'quinquênio', um benefício que é uma reivindicação antiga das associações de magistrados, foi aprovado pela Comissão d...

Governo Lula põe sob sigilo lista de servidores que ocuparam 57 quartos de hotel de luxo em Londres

Governo Lula põe sob sigilo lista de servidores que ocuparam 57 quartos de hotel de luxo em Londres

O governo liderado por Luiz Inácio Lula da Silva optou por manter em segredo, pelos próximos cinco anos, a relação dos i...

Defensoria Pública da União (DPU) pede para Musk pagar multa de R$ 1 bilhão

Defensoria Pública da União (DPU) pede para Musk pagar multa de R$ 1 bilhão

A Defensoria Pública da União (DPU) solicitou à Justiça Federal da 1ª Região (TRF-1) nesta sexta-feira, 19, que Elon Mus...

STF começa hoje a decidir sobre suspensão do WhatsApp em meio à polêmica com X

STF começa hoje a decidir sobre suspensão do WhatsApp em meio à polêmica com X

O assunto aborda a possibilidade de interrupção de aplicativos de mensagens, como o WhatsApp, por não cumprimento de ord...

PT tem receio de que Lira coloque em pauta o impeachment de Lula 

PT tem receio de que Lira coloque em pauta o impeachment de Lula 

Depois de um aumento na tensão, membros do PT mencionam duas razões para temer que Arthur Lira coloque em pauta o impeac...

STF derruba mandado de segurança que mantinha Juninho como prefeito de Inhaúma

STF derruba mandado de segurança que mantinha Juninho como prefeito de Inhaúma

Em decisão monocrática proferida nessa quarta-feira (17) pelo presidente do Supremo Tribunal Federal (STF) Luís Roberto ...

Ministério Público arquiva denúncias contra o vereador Caio Valace

Ministério Público arquiva denúncias contra o vereador Caio Valace

Na última terça-feira (16), o presidente da Câmara de Sete Lagoas Caio Valace (PDT) fez pronunciamento onde dizia que, f...

Parlamento Jovem de Sete Lagoas visita a Assembleia Legislativa estadual

Parlamento Jovem de Sete Lagoas visita a Assembleia Legislativa estadual

O Parlamento Jovem (PJ), programa da Câmara Municipal de Sete Lagoas que propõe a iniciação política na vida de estudant...

O SeteLagoas.com.br utiliza cookies e outras tecnologias para melhorar a sua experiência!
Termos