Menu

5 a 2: Moro é absolvido das acusações de abuso de poder econômico pelo TRE-PR e evita a cassação

O Tribunal Regional Eleitoral do Paraná (TRE-PR) absolveu, nesta terça-feira (9), o senador Sergio Moro (União Brasil) das acusações de abuso de poder econômico, caixa 2 e uso indevido dos meios de comunicação na campanha eleitoral de 2022. O placar foi de 5 a 2 a favor de Moro, em uma sessão que se estendeu por quase 7 horas.

Foto: Reprodução InternetFoto: Reprodução Internet

O tribunal examinou uma ação movida pela federação formada por PT, PCdoB e PV e outra pelo PL, partido do ex-presidente Jair Bolsonaro. Com esse desfecho, Moro mantém seu mandato no Senado intacto.

O julgamento teve início em 1º de abril e foi interrompido três vezes por solicitações de tempo adicional para análise do processo. Os advogados que representam o PT e o PL, autores das ações contra Moro, ainda têm a opção de recorrer ao Tribunal Superior Eleitoral (TSE).

O relator do caso, o desembargador Luciano Carrasco Falavinha Souza, se posicionou contra a cassação do mandato do parlamentar. Ele foi apoiado pelos desembargadores Claudia Cristina Cristofani, Guilherme Frederico Hernandes Denz e Anderson Ricardo Fogaça, além do presidente do tribunal, Sigurd Roberto Bengtsson. Os votos favoráveis à cassação foram dos desembargadores José Rodrigo Sade e Julio Jacob Júnior.

Moro enfrentava acusações de abuso de poder econômico, caixa 2 e uso indevido dos meios de comunicação durante a campanha eleitoral de 2022. As ações visavam à cassação de seu mandato parlamentar, sua inelegibilidade por 8 anos e a convocação de uma nova eleição para o Senado no Paraná.

No final de 2021, Moro filiou-se ao Podemos e era cogitado como possível candidato do partido à Presidência da República. Em março de 2022, a apenas 7 meses das eleições, o ex-juiz deixou a legenda e ingressou no União Brasil, como pré-candidato ao Senado por São Paulo. Em junho, após ter sua mudança de domicílio eleitoral vetada pela Justiça, anunciou a candidatura a uma vaga de senador pelo Paraná.

Os votos desta terça-feira (9)

O primeiro a votar nesta tarde foi o desembargador Julio Jacob Júnior, que havia pedido vista na última sessão. Ele discordou do entendimento do relator, Luciano Carrasco Falavinha Souza, e votou a favor da cassação do mandato de Moro.

“Entendo haver provas contundentes nos autos de que o acesso desmedido a recursos financeiros pode desequilibrar a igualdade do pleito”, declarou Jacob Júnior em seu voto.

“O que vejo aqui são gastos muito acima do comum, os quais estão muito longe de ser acessíveis a qualquer candidato médio”, afirmou o desembargador. “Sergio Moro teve acesso praticamente ilimitado a recursos que permitiram a recuperação de sua imagem, prejudicada junto ao eleitorado paranaense após a negação do seu domicílio eleitoral no estado de São Paulo.”

Em seguida, votou o desembargador Anderson Ricardo Fogaça, que seguiu o parecer do relator e descartou a possibilidade de cassação do mandato de Sergio Moro. Com o voto de Fogaça, o TRE-PR formou maioria em favor da absolvição do senador do União Brasil.

“Muitos documentos apresentam gastos que não são pertinentes à pré-campanha nem evidenciam benefícios aos investigados, tornando-os inadmissíveis como prova de eventual abuso de poder econômico”, afirmou o desembargador.

“É necessário individualizar [os gastos] para verificar objetivamente o grau de benefícios obtidos pelos candidatos”, acrescentou Fogaça, destacando que a acusação não conseguiu fornecer essa especificação dos valores desembolsados pela pré-campanha de Moro.

Com a maioria estabelecida, o presidente do TRE-PR, Sigurd Roberto Bengtsson, inicialmente previsto para votar apenas em caso de empate, anunciou que apresentaria seu voto, independentemente do resultado. Ele também seguiu o relator e rejeitou a cassação de Moro.

Sessão de segunda-feira (8)

A primeira a votar na sessão de segunda-feira foi Claudia Cristina Cristofani, que havia pedido vista na semana anterior. Ela concordou com o voto do relator, Luciano Carrasco Falavinha Souza, e se manifestou contra a cassação de Moro.

“Eu votarei alinhada ao relator e explicarei o porquê: o TSE estabeleceu duas premissas sobre abuso de poder econômico na pré-campanha. Gastos acima da média dos demais candidatos e que esses gastos excessivos devem ser graves tanto quantitativa quanto qualitativamente”, observou Cristofani.

Segundo a magistrada, a acusação não conseguiu provar que Moro teria excedido os gastos médios em sua campanha, uma vez que os valores desembolsados pelos demais candidatos não foram apresentados.

“A compra de um carro é comprovada por meio da nota fiscal da loja, não por uma declaração entre a loja e o comprador. Não se prova por declaração privada”, afirmou a desembargadora.

Em seguida, houve um novo pedido de vista no julgamento, desta vez por parte do desembargador Julio Jacob Júnior. Antes de suspender a sessão, no entanto, o presidente do tribunal, Sigurd Roberto Bengtsson, perguntou aos membros da corte se alguém gostaria de antecipar seu voto – o que é permitido pelo regimento do TRE-PR.

O desembargador Guilherme Frederico Hernandes Denz, então, pediu a palavra e decidiu antecipar seu posicionamento sobre o caso. “Eu também concluí que não houve abuso de poder econômico”, afirmou Denz. “Em relação aos gastos das empresas, eu estou descartando. As provas apresentadas foram muito frágeis. Não houve evidência de aporte ilegal de recursos.”

Da Redação com Infomoney

Clique e siga as redes sociais do SeteLagoas.com.br para ficar bem informado: InstagramTwitterThreadsYouTubeTikTok e Facebook

Receba as notícias do SeteLagoas.com.br via Whatsapp AQUI



Publicidade

+ Política

Câmara de Sete Lagoas aprova doação de terreno para construção do Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia

Câmara de Sete Lagoas aprova doação de terreno para construção do Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecno…

Com 10 votos favoráveis, o Legislativo aprovou a doação de um terreno de 22.788,94m² na Avenida Tonico Reis, em Sete...

Congresso derruba veto de Lula e volta a proibir "saidinha" de presos

Congresso derruba veto de Lula e volta a proibir "saidinha" de presos

O Congresso Nacional derrubou os vetos do presidente Luiz Inácio Lula da Silva à lei que restringe a saída temporári...

Se não causar poluição visual, distribuição de santinhos em feiras livres é permitida

Se não causar poluição visual, distribuição de santinhos em feiras livres é permitida

Na sessão desta quinta-feira (23), o Tribunal Superior Eleitoral (TSE) decidiu que a distribuição de santinhos por ca...

Em ano de eleição você precisa saber qual a diferença entre Voto em Branco e Voto Nulo; veja aqui

Em ano de eleição você precisa saber qual a diferença entre Voto em Branco e Voto Nulo; veja aqui

No Brasil, o eleitor é obrigado a comparecer às urnas ou apresentar uma justificativa para sua ausência. Entretanto, ...

Gestores discutem sobre futuro da ‘Escolinha da CEMIG’ de Sete Lagoas

Gestores discutem sobre futuro da ‘Escolinha da CEMIG’ de Sete Lagoas

Qual será o futuro da "Escolinha da CEMIG" em Sete Lagoas? Essa pergunta é feita por políticos, gestores e a populaç...

STF reconhece assédio judicial contra a imprensa e aprova tese para inibir prática

STF reconhece assédio judicial contra a imprensa e aprova tese para inibir prática

Em decisão unânime, a Corte Suprema brasileira considerou ilegal o ajuizamento de múltiplas ações judiciais para in...

Parlamento Jovem é eleito em Sete Lagoas; veja o resultado

Parlamento Jovem é eleito em Sete Lagoas; veja o resultado

Na última segunda-feira, 20 de maio, as 17 escolas participantes do processo de eleição dos novos vereadores do Parla...

Julgamento no STF propõe medidas contra 'assédio judicial' a jornalistas

Julgamento no STF propõe medidas contra 'assédio judicial' a jornalistas

O Supremo Tribunal Federal (STF) está em processo de reconhecer o "assédio judicial" contra jornalistas. Na quinta-fei...

Câmara de Sete Lagoas realiza Semana da Abolição da Escravatura a partir de segunda (13)

Câmara de Sete Lagoas realiza Semana da Abolição da Escravatura a partir de segunda (13)

A Câmara Municipal de Sete Lagoas (CMSL) vai celebrar a Semana da Abolição da Escravatura com atividades começando n...

Câmara dos Deputados aprova projeto de lei que torna obrigatório para companhias aéreas o rastreamento do transporte de pets

Câmara dos Deputados aprova projeto de lei que torna obrigatório para companhias aéreas o rastreamento do transporte …

A Câmara dos Deputados aprovou nesta quarta-feira (8) um projeto de lei que determina que as companhias aéreas devem d...