Menu

Atlético-MG busca equilíbrio tático e melhor aproveitamento de oportunidades a cada jogo / Coluna / Álvaro Vilaça / Tempo Esportivo

1º Tempo

Com uma pausa nos compromissos do Campeonato Brasileiro, em função da disputa das finais do Estadual, diante do Tombense, o Atlético segue a busca pelo equilíbrio tático e melhor aproveitamento das oportunidades geradas a cada jogo.

Créditos: Bruno Cantini/ Agência Galo/ AtléticoCréditos: Bruno Cantini/ Agência Galo/ Atlético

Contra o Internacional, no Beira-Rio, o time cumpriu parte da cartilha de Jorge Sampaoli: a posse de bola, que é sempre uma referência para a equipe. Mas só com ela não se ganha jogo. Pior, pela segunda vez seguida, o time teve a bola na maior parte do tempo e, mais uma vez, saiu derrotado de campo, dessa vez por 1 a 0. Antes, o revés havia sido para o Botafogo, por 2 a 1, no Rio de Janeiro.

As derrotas aconteceram por motivos diferentes. Contra os cariocas faltou pontaria nas inúmeras chances surgidas (foram pelo menos 15 bastante claras). Frente aos gaúchos, a equipe pouco concluiu. O desajuste foi na criação. Não por outro motivo, embora já tenha contratado quase um time inteiro desde a chegada do treinador argentino, a diretoria alvinegra busca um homem de meio-campo, um camisa dez com características de maior mobilidade. Com a janela internacional de transferências fechada até meados de outubro, o clube busca opções no mercado interno.

Enquanto isso, segue o debate “Mineirão x Independência”: Com portões fechados, não há arrecadação de bilheteria para os clubes brasileiros. Pelo contrário, a cada jogo, os borderôs só indicam prejuízos. No caso do Atlético, ele chega a R$ 85,5 mil negativos em média no Mineirão, bem superior aos R$ 19,8 mil em média negativos que o Independência apresenta no pós-pandemia. Ainda que mais oneroso, o Gigante da Pampulha seguirá como palco de jogos do Galo até o fim da Série A.

O entendimento da diretoria do Atlético é pautado principalmente pela questão de conforto e segurança sanitária que o Mineirão proporciona. Não que o Independência seja um local de risco. Mas as instalações do Gigante da Pampulha, por serem projetadas para atender 60 mil torcedores, são mais amplas e vantajosas, neste sentido de combate à Covid-19. Outro fator primordial na escolha foi a qualidade do gramado, na visão do Galo.

2º Tempo

Envolvido com compromisso no meio de semana pela Copa do Brasil, o Cruzeiro só volta a campo pelo Campeonato Brasileiro da Série B neste sábado, às 19:00 horas, contra o América, no Mineirão. A partida vai servir para que o time celeste tente uma reaproximação ao G4, embora, matematicamente, não tenha chances de alcançá-lo neste final de semana.

Durante a semana o técnico Enderson Moreira voltou a falar da partida do Cruzeiro contra o Confiança, domingo passado em Aracaju. O empate obtido pelo time celeste fora de casa amargurou o treinador da Raposa. Ele ressaltou a boa atuação na primeira etapa, mas reconheceu que a equipe teve um segundo tempo difícil. O treinador se mostrou insatisfeito com o empate e destacou que a equipe não está em sua forma ideal. Segundo Enderson, falta a mesma coisa que todas as outras equipes, isto é, ninguém está pronto. O treinador ressaltou que até mesmo algumas equipes que gastam milhões não estão prontas. O técnico celeste ainda ressaltou que a ansiedade e a pressa são inimigas de um trabalho bem feito.

Para Enderson Moreira, a campanha feita pelo Cruzeiro na Série B é vista com bons olhos. O treinador ainda lembrou dos 6 pontos que foram descontados da equipe no início do campeonato.

Após 05 rodadas, a Raposa precisa fazer, rapidamente, a leitura do que é a Segunda Divisão: Gramados ruins, viagens desgastantes, adversários jogando de forma reativa, erros de arbitragem (não existe o VAR), esses são alguns dos desafios que os grandes clubes do Brasil enfrentam quando disputam a Série B. Só na técnica não sobe. Tem que igualar na vontade com aqueles times inferiores do ponto de vista técnico e se impor, principalmente quando jogar dentro de seus domínios. Não há muito mistério na competição, mas que ninguém espere jogos com grande qualidade técnica na Série B, nem do Cruzeiro e nem de qualquer outro clube, pelo simples fato de que eles não existem nesta divisão!

 

Democrata quer apoio em massa dos sete-lagoanos para voltar à elite

Finalizando todo o protocolo de medidas preventivas para a reapresentação dos jogadores que vai acontecer em dias alternados para evitar aglomerações antes dos testes a que eles serão submetidos, a diretoria do Democrata lançou uma campanha para fortalecer a equipe antes da volta do Campeonato Mineiro do Módulo II. Com o “Vamos subir Demô”, a gestão quer mobilizar a torcida para conseguir 100 adesões ao programa DemoCents até a reestreia, marcada para 10 de outubro.

Desde que foi lançado pelo Democrata, o projeto que arrecada recursos por meio do arredondamento do troco na boca do caixa já conseguiu 28 cadastros, uma média de aproximadamente três por dia. O presidente Renato Paiva lançou o “desafio” porque “conhecemos nosso torcedor e sempre nos apoiam. Agora não será diferente, tenho certeza”, aposta o gestor.

O time de Sete Lagoas é o terceiro do Brasil a aderir à plataforma InCENTive para arrecadar o “DemoCents”. Para contribuir na volta do Jacaré ao Módulo II, o torcedor precisa fazer o cadastro do cartão Mastercard no site democrata.centavosrealizam.com.

A plataforma funciona da seguinte forma: se uma compra custou R$ 5,25, automaticamente a plataforma vai arredondar o valor final para R$ 6,00. A diferença de R$ 0,75 será doada ao Democrata. Os arredondamentos partem de R$ 0,01 e chegam R$ 0,99. O torcedor vai receber um extrato mensal detalhado com os valores destinados. A doação mínima, por mês, será de R$ 5,00.

Chegadas e Saídas - Depois do meia Guilherme que se transferiu para o futebol português, o goleiro Léo Flores e o centroavante Gleisson também não vestem mais a camisa do Jacaré no Módulo II. O Democrata se movimenta nos bastidores para suprir as baixas, mas Renato Paiva adianta que o elenco não será muito diferente do que deixou o time na quinta posição da tabela quando o torneio foi paralisado. “Teremos algumas contratações pontuais, mas o time será bem parecido com o que esteve em campo até a paralisação”, reforça.

O Democrata tem previsão de voltar a campo pelo Módulo II no dia 10 de outubro, em confronto no Vale do Aço, diante do Ipatinga, válido pela sétima rodada da primeira fase. Também fora de casa o Jacaré ainda terá compromissos contra o Democrata de Governador Valadares e o Mamoré de Patos de Minas. Até o encerramento da fase inicial da competição o Democrata também terá duas partidas a serem realizadas na Arena do Jacaré, contra o líder, Pouso Alegre, e o Serranense.

Veja a classificação atualizada da Série B estadual com 06 rodadas concluídas:

Fonte: FMFFonte: FMF

 

Federação Mineira marca reunião da Segundona

A Federação Mineira de Futebol publicou o Edital de Convocação para clubes interessados em participar da Segunda Divisão 2020 do Campeonato Mineiro, que na prática é a Série C do futebol profissional em Minas Gerais.

Para se habilitar, o clube deve ser profissional, filiado à FMF, estar regular e ativo e possuir licença de funcionamento para o ano de 2020, concedida pela Federação Mineira de Futebol.

Os clubes que desejarem disputar a competição se submeterão aos protocolos sanitários e de higiene de combate ao COVID-19 (Coronavírus) vigentes à época da realização de treinos e jogos.

A reunião está marcada para o dia 03 de setembro.

Inter de Minas, Pirapora, Boston City de Manhuaçu, Minas Boca, Figueirense de São João Del Rey, Santarritense, Atlético de Três Corações, União Luziense, Betis, Valadares e Araguari, além de Uberaba e Tricordiano, que foram rebaixados no Módulo II em 2019, podem ser alguns dos participantes da competição. Contudo, as questões financeiras e a obrigatoriedade do cumprimento do protocolo de saúde, em função da pandemia do Covid-19, são desafios difíceis para a maioria dos clubes e, por isso, a tendência é de que a competição tenha poucos participantes neste ano.

Álvaro Vilaça é formado em Comunicação Social e Marketing, apresentador de TV, ex-narrador e ex-repórter esportivo da Rádio Inconfidência de Belo Horizonte, Diretor de Programação e Coordenador de Esportes da Rádio Eldorado e do Jornal Hoje Cidade. Também é o responsável pela coluna de Esportes do Jornal Notícia e é professor de Negociação, Compras e Marketing das Faculdades Promove de Sete Lagoas. Pós-Graduado em Administração e Marketing.




Publicidade
Publicidade

Links patrocinados