Logo

Por que os clubes priorizam outros campeonatos em detrimento do Brasileirão? / Coluna / Álvaro Vilaça / Tempo Esportivo

Tempo Esportivo

O Flamengo é o time com a maior média de renda por jogo no Brasil em 2019. Líder em média de público na temporada, o Rubro-Negro superou Corinthians e Palmeiras também na questão financeira nas arquibancadas. O time carioca tem uma média de renda por partida de R$ 1,7 milhão, ultrapassando os rivais paulistas, que têm R$ 1,6 milhão cada. No último levantamento, o Corinthians era quem tinha a melhor média, com o Palmeiras e Flamengo nas segunda e terceira colocações, respectivamente. Longe desses números aparecem Cruzeiro em 7º lugar, com R$ 575 mil de média por jogo e Atlético em 9º, com média de R$ 533 mil por evento.

Foto: Reprodução/InternetFoto: Reprodução/Internet

A discrepância desses clubes em relação aos outros da Série A do Campeonato Brasileiro se acentua ainda mais quando o assunto é orçamento, perspectivas financeiras. Com as alterações no formato de divisão de cotas de TV, os percentuais ficaram assim:
– 40% igualitário – recebimento de 75% desse valor entre janeiro e junho e 25% de julho a dezembro, pagos mensalmente;
– 30% de audiência – recebimento entre maio e dezembro de acordo com o número de transmissões do mês;
– 30% de posição – recebimento em dezembro, após o fim do Brasileirão.

A posição que cada clube ocupa no ranking nacional também interfere no rateio. Atualmente, o Cruzeiro é o segundo e o Atlético figura apenas em sétimo lugar.

Numa projeção de conquista de título algumas equipes receberiam bem mais do que outras: O Flamengo atinge cotas de R$ 327 milhões pelo Brasileiro de 2019. No total, o clube ganharia R$ 147 milhões a mais do que na projeção de 2018 para qual foi considerada a posição do final o primeiro turno.

Já o Corinthians, em caso de título, teria um ganho total de R$ 271 milhões em 2019, isto é, R$ 91,5 milhões a mais do que na atual temporada. A diferença entre os dois é porque o Flamengo ainda tem parte das luvas para receber enquanto o Corinthians já pegou tudo, além de exibições na TV aberta.

Em comparação, clubes como Atlético, Cruzeiro, Grêmio, Internacional, Santos e Vasco viveriam realidades bem diferentes em caso de título. Em relação aos três primeiros times, as projeções mostram que eles ganhariam menos em 2019 do que em 2018, caindo de R$ 108 milhões para R$ 100,6 milhões (sempre em caso de título). O cálculo é complexo, leva em conta vários fatores, mas no final das contas acaba privilegiando quem já ganhava mais.

Esse conjunto de fatores foi a mola propulsora para que vários clubes passassem a priorizar Copa Libertadores da América, Copa do Brasil e Copa Sul-Americana em detrimento do Campeonato Brasileiro.

O abismo financeiro tende a aumentar cada vez mais, enfraquecendo a principal competição do país e contribuindo para o crescimento do interesse da maioria dos clubes nas disputas eliminatórias. Neste caso, a escolha pela segunda opção é um ganho financeiro e técnico também, já que em competições de regularidade as chances do “mais fraco derrotar o mais forte” são muito menores”!

Segundo tempo

Sete Lagoas perdeu nesta última segunda-feira um de seus filhos mais cultos e estudiosos. Escritor, historiador, pesquisador e ufólogo, o jornalista Márcio Vicente da Silveira vai fazer muita falta. Figura extraordinária, que tanto contribuiu para a história e a cultura desta cidade. Militou por décadas em veículos de comunicação da cidade. Vou sentir falta de nossas resenhas intermináveis sobre a presença de alienígenas aqui na Terra. Quando eu duvidava de sua tese, ele me respondia com uma frase genial: “Mais dia, menos dia você será atropelado por uma nave espacial na esquina da sua casa”!
Descanse em paz, meu amigo, você fez a diferença enquanto esteve entre nós!”

 

Campeão da Libertadores estreia no Mundial de Clubes em 17 de dezembro

A Fifa anunciou o calendário do Mundial de Clubes de 2019. O torneio, que será disputado no Catar, ocorrerá entre 11 e 21 de dezembro. A estreia do campeão da Libertadores será na semifinal, dia 17.

Atual campeão Mundial, o Real Madrid não participará da edição deste ano uma vez que o campeão europeu foi o Liverpool — Foto: ReproduçãoAtual campeão Mundial, o Real Madrid não participará da edição deste ano uma vez que o campeão europeu foi o Liverpool — Foto: Reprodução

Até agora, três times já têm vaga assegurada: Liverpool (campeão europeu), Monterrey (campeão das Américas do Norte e Central) e Hienghene Sport (campeão da Oceania).

O Al-Sadd, campeão do Catar, está perto da vaga — só a perderá se um outro time catari foi o campeão asiático — o único outro que segue na disputa é o Al-Duhail. Neste caso, o campeão continental vai para o Mundial como representante do país-sede, e o melhor colocado de outro país vai como o representante asiático.

As outras duas vagas saem dos campeões da Libertadores e da Liga dos Campeões da África.

O jogo entre o campeão da Oceania e o Al-Sadd — ou o melhor time não-catari da Liga dos Campeões da Ásia, se o campeão for o Al-Duhail — será em 11 de dezembro, pela fase preliminar.

As quartas de final ocorrem no dia 14 de dezembro. Contudo, os duelos só serão definidos por sorteio, a ser realizado em 16 de setembro.

A semifinal com o campeão da Libertadores será dia 17. O Liverpool estreia no dia 18. A disputa pelo terceiro lugar e a final ocorrerão no dia 21.

Além da edição 2019, já se sabe que em 2020 a competição de nível máximo entre clubes de todo o planeta também será em solo catari para, em 2021, modificar seu atual formato de seis para 24 clubes de acordo com o desejo da atual administração da FIFA.

 

Futebol Feminino terá novidades no próximo Mundial

Boas notícias para os amantes do futebol feminino! O sucesso esportivo e comercial da competição na França levou o presidente da Fifa, Gianni Infantino, a elaborar uma proposta de mudança no formato do torneio, expandindo o número de participantes de 24 para 32 seleções, já a partir da próxima edição, em 2023. O dirigente acredita que a última Copa mostrou que uma competição maior é comercialmente viável, e aceleraria o desenvolvimento do futebol feminino.

A Fifa pediu aos membros do Comitê Executivo que aprovem nos próximos dias o aumento de oito seleções na Copa Feminina, mesmo sem uma reunião formal para tomar a decisão. O próximo encontro do Comitê Executivo da Fifa será apenas nos dias 23 e 24 de outubro, em Xangai.

Infantino quer acelerar o processo porque a mudança impactará na escolha da sede do Mundial Feminino de 2023. Nove países, incluindo o Brasil, demonstraram interesse em sediar a competição, mas estão preparando suas candidaturas com base em um formato com 24 seleções.

A Fifa deseja pedir, já em agosto, que os países interessados confirmem se manterão a pré-candidatura mesmo com a expansão da Copa Feminina para 32 países.

No cronograma atual, as pré-candidaturas serão submetidas à Fifa em dezembro. Se o Comitê Executivo aprovar a expansão, é possível que a escolha da sede do Mundial de 2023 seja adiado de março para maio de 2020.

Álvaro Vilaça é formado em Comunicação Social e Marketing, apresentador de TV, ex-narrador e ex-repórter esportivo da Rádio Inconfidência de Belo Horizonte, Diretor de Programação e Coordenador de Esportes da Rádio Eldorado e do Jornal Hoje Cidade. Também é o responsável pela coluna de Esportes do Jornal Notícia e é professor de Negociação, Compras e Marketing das Faculdades Promove de Sete Lagoas. Pós-Graduado em Administração e Marketing.




Publicidade
Publicidade

© Copyright 2008 - 2019 SeteLagoas.com.br - Powered by Golbe Networks