Menu

O ano de 2019 deve ser esquecido pela torcida mineira / Coluna / Álvaro Vilaça / Tempo Esportivo

O ano de 2019 deve ser esquecido pela torcida mineira! As crises vividas pelos principais clubes do estado, dentro e fora de campo, têm vários culpados, mas alguns nomes se destacam: As cúpulas dos times de Minas vêm cometendo erros atrás de erros, alguns até estão sendo investigados por supostos crimes. Vamos separar os erros de cada diretoria, pois os erros de administração do Atlético são totalmente diferentes dos equívocos cruzeirenses.

A cúpula alvinegra montou um elenco de muito baixo nível, jogadores como Maicon Bolt, Geuvânio, David Terans, Lucas Hernandéz, Zé Welisson, dentre outros, não deram o menor retorno ao clube. Além desses jogadores tecnicamente muito fracos, a média de idade bastante elevada de boa parte do elenco pesou negativamente. Jogadores como Elias, Rever, Fabio Santos e Ricardo Oliveira estiveram abaixo do que poderiam render.

A diretoria atleticana errou muito em decisões técnicas, o diretor de futebol Rui Costa não fez um bom trabalho até o momento e gastou bastante dinheiro em jogadores comuns como Ramon Martinez e Lucas Hernandéz. Mais um ano sem conquistar nada e com acréscimo da dívida, porque o planejamento foi pífio e faltou ambição para quem comanda o clube. Uma vaga na Copa Sul-Americana foi o prêmio de consolo para quem não faz nada para merecer algo maior ao longo do ano!

Já a diretoria do Cruzeiro cometeu erros diferentes das do rival. Afinal a crise institucional que explodiu dentro do clube é a maior crise administrativa de todos os tempos. O presidente Wagner Pires de Sá e seu Vice Itair Machado que comandava o futebol, montaram um grande time, um time que disputaria todos os títulos, jogadores como Rodriguinho, Pedro Rocha, Fred, Thiago Neves, Fábio, Dedé, entre outros. Mostravam a todos que a temporada do clube seria muito melhor que a do ano anterior, que já havia sido muito boa com os títulos do Campeonato Mineiro e da Copa do Brasil.

Porém, uma reportagem divulgada pela Rede Globo de Televisão mudaria o rumo do Cruzeiro na temporada. Essa matéria mostrava inúmeras irregularidades financeiras e administrativas que também atingiriam o clube dentro de campo. Isso fez com que o time, até então dirigido por Mano Menezes, que já vinha com alguns resultados ruins, piorasse consideravelmente, principalmente no Campeonato Brasileiro, onde começou a figurar na zona de rebaixamento. Eliminações na Copas Libertadores da América e na Copa do Brasil fizeram com que Mano Menezes fosse demitido. Rogério Ceni chegou e não teve respaldo da diretoria, sendo demitido algumas semanas depois. Abel Braga também não conseguiu mudar a situação e Adílson Batista perdeu todos os três jogos em que esteve à frente do clube.

Adílson Batista foi confirmado como técnico do Cruzeiro em 2020 e será um dos responsáveis pelas mudanças no grupo de jogadores — Foto: ReproduçãoAdílson Batista foi confirmado como técnico do Cruzeiro em 2020 e será um dos responsáveis pelas mudanças no grupo de jogadores — Foto: Reprodução

Salários atrasados, ações na Fifa, pendências com fornecedores e muita dificuldade para cumprir os compromissos firmados. Foi assim que terminou o ano do Cruzeiro, rebaixado pela primeira vez na história.

Certamente o clube terá que passar por uma profunda reformulação, porque a diretoria atual foi irresponsável na contratação de determinados jogadores, propondo salários que não eram compatíveis com o orçamento do clube. Atualmente, no futebol brasileiro, apenas Flamengo e Palmeiras podem se dar ao luxo de fazerem grandes investimentos. Se outros clubes tentarem acompanhar, o resultado será catastrófico.

Para times como Atlético e Cruzeiro, o que resta é ter criatividade e bons contatos no mercado, para que possam reforçar os elencos sem comprometerem ainda mais as contas.

Em momentos como esse, as diretorias deveriam vir a público e explicar para os torcedores o porquê de tantos erros e de tantas escolhas equivocadas ao longo de uma temporada inteira!

 

Chuva faz Copa Eldorado alterar programação de jogos

A programação de jogos da primeira semana da 38ª edição da Copa Eldorado foi bastante alterada em função das fortes chuvas que caíram na região de Sete Lagoas. Pelo menos 06 partidas deixaram de ser realizadas, porque os campos não reuniram condições de jogo e havia risco para a integridade física dos atletas.

A Copa Eldorado deste ano conta com a participação de 24 equipes. Na primeira fase os times foram divididos em 06 chaves compostas com 04 equipes cada, que jogarão entre si, dentro da mesma chave, classificando para a fase seguinte as 02 melhores colocadas de cada chave por pontos ganhos e as 04 melhores equipes classificadas em 3º lugar no computo geral.

Com as questões climáticas interferindo diretamente na realização de várias partidas, é possível que a programação inicial de datas fique comprometida, ou seja, dificilmente a fase inicial será encerrada até o dia 22 de dezembro. A princípio, se tudo der certo, as oitavas-de-final terão início no dia 04 de janeiro de 2020, após o recesso para as festividades de fim de ano.Uma novidade ficará por conta dos jogos das semifinais, que serão realizados numa segunda e numa terça-feira à noite, dias 20 e 21 de janeiro.

A decisão da Copa Eldorado está prevista para o dia 25 de janeiro, um sábado, às 16 horas no Estádio Emílio de Vasconcelos Costa (Campo do Ideal). Na decisão, se a partida terminar empatada no tempo normal, o título será definido através de cobranças de penalidades, não tendo, portanto, a partir desta edição, a prorrogação de 30 minutos.

A final será precedida pela decisão do terceiro lugar, prevista para as 14 horas.

Os times foram distribuídos nas chaves da seguinte forma:

Estão pendentes os seguintes jogos para o fechamento da primeira rodada:

São Sebastião de Pindaíbas x União do Morro
Cordisburgo x Expresso Progresso
Industrial / Layala Água e Gás x Dallas Golo
Reitran x ABC Celulares
NSports x Garimpeiros
CAP x Inter Eldorado
Sertanejo x Independente

A segunda rodada, por hora, tem os seguintes jogos previstos:

14/12 (14:00) – Campo do CAP - ABC Celulares x Montreal
14/12 (16:00) – Campo do CAP - NF / União Alvorada x Reitran
14/12 (14:00) – Campo do Serrinha - Operário x Santa Helena
14/12(16:00) – Campo do Serrinha - AFP / Cooperlíder x Curiango / Maguinho Vidros

15/12 (08:00) – Campo do Bangu - Independente de Pompeu x CAP
15/12 (10:00) – Campo do Bangu – Inter Eldorado x Sertanejo de Prudente de Morais
15/12 (08:00) – Campo do Ideal – Garimpeiro / Posto 7 x São Sebastião das Pindaíbas
15/12(10:00) – Campo do Ideal – União do Morro x N. Sports Sidão / Juntos Somos Mais Fortes

16/12(20:00) – Campo do Ideal – Paraopeba / Super Sô x Ideal
16/12(20:00) – Campo do Serrinha – Líder Automóveis e Seguros / Lontra x União Progresso / WBRFIT

17/12 (20:00) – Campo do CAP – Expresso Progresso x Industrial / Layala Água e Gás
17/12(20:00) – Campo do Eucalipal – Dallas Golo x Cordisburgo

O campeão da Copa Eldorado vai receber troféu, medalhas e R$ 4.000,00 em dinheiro. O vice campeão será agraciado com troféu, medalhas e R$ 2.000,00 em dinheiro.

A Rádio Eldorado de Sete Lagoas, AM 1300 KHZ, vai transmitir todos os jogos da 28ª edição da Copa Eldorado. Também será possível acompanhar as partidas, programas e boletins esportivos através do aplicativo que pode ser baixado no site da emissora: www.eldorado1300.com.br.

 

Cotas de TV mudam o formato no Brasileirão de 2019

O Brasileirão 2019 chegou ao final no último fim de semana. Esta temporada foi a primeira com a mudança no pagamento de direitos de transmissão, onde a Globo distribuiu o dinheiro de acordo com a exibição dos times na TV Aberta e Fechada. Ou seja, quanto mais jogo televisionado na Rede Globo ou SporTV, maior o ganho.

Os clubes que mais saíram ganhando com esse formato foram Athletico Paranaense, na TV Aberta, e Avaí, na TV Fechada. As equipes de maiores torcidas, como Corinthians, Flamengo e São Paulo, foram priorizadas pelo pay-per-view e, por isso, receberão menos. Em contrapartida, os ganhos com o PPV são maiores.

Vale lembrar que a divisão das cotas do Brasileirão 2019, tanto na Globo quanto no SporTV, foi feita da seguinte forma: 40% igualitário, 30% de exibição e 30% de premiação por colocação na tabela. Cada jogo na TV Aberta rendeu cerca de R$ 980 mil. Já na TV Fechada, algo em torno de R$ 900 mil.

Seguem os valores da TV Aberta:

Athletico-PR – R$ 18,6 milhões (19 jogos)
Corinthians – R$ 12,9 milhões (13 jogos)
Palmeiras – R$ 11,4 milhões (12 jogos)
Botafogo – R$ 11,4 milhões (12 jogos)
Internacional – R$ 10,8 milhões (11 jogos)
Flamengo – R$ 10,8 milhões (11 jogos)
Santos – R$ 10,8 milhões (11 jogos)
Vasco – R$ 9,8 milhões (10 jogos)
Atlético – R$ 9,8 milhões (10 jogos)
Cruzeiro – R$ 9,8 milhões (10 jogos)
Fluminense – R$ 8,8 milhões (9 jogos)
São Paulo – R$ 8,8 milhões (9 jogos)
Goiás – R$ 7,8 milhões (8 jogos)
Bahia – R$ 6,8 milhões (7 jogos)
Grêmio – R$ 6,8 milhões (7 jogos)
Fortaleza – R$ 6,8 milhões (7 jogos)
Ceará – R$ 6,8 milhões (7 jogos)
CSA – R$ 5,9 milhões (6 jogos)
Avaí – R$ 3,9 milhões (4 jogos)
Chapecoense – R$ 978 mil (1 jogo)

Seguem os valores da TV Fechada:

Avaí – R$ 16,2 milhões (18 jogos)
Chapecoense – R$ 13,5 milhões (15 jogos)
CSA – R$ 12,6 milhões (14 jogos)
Atlético – R$ 9,9 milhões (11 jogos)
Goiás – R$ 9 milhões (10 jogos)
Fluminense – R$ 8,1 milhões (9 jogos)
Botafogo – R$ 8,1 milhões (9 jogos)
Grêmio – R$ 8,1 milhões (9 jogos)
Cruzeiro – R$ 7,2 milhões (8 jogos)
Vasco – R$ 5,4 milhões (6 jogos)
São Paulo – R$ 1,8 milhões (2 jogos)
Flamengo – R$ 900 mil (1 jogo)

Álvaro Vilaça é formado em Comunicação Social e Marketing, apresentador de TV, ex-narrador e ex-repórter esportivo da Rádio Inconfidência de Belo Horizonte, Diretor de Programação e Coordenador de Esportes da Rádio Eldorado e do Jornal Hoje Cidade. Também é o responsável pela coluna de Esportes do Jornal Notícia e é professor de Negociação, Compras e Marketing das Faculdades Promove de Sete Lagoas. Pós-Graduado em Administração e Marketing.




Publicidade
Publicidade

Links patrocinados