Menu

Democrata vai estampar a marca de Sete Lagoas durante o Campeonato Mineiro do Módulo II / Coluna / Álvaro Vilaça / Tempo Esportivo

1º Tempo

Enquanto busca se recuperar dentro de campo e chegar ao G4 da Série B do Campeonato Brasileiretivo o, a diretoria trabalha com outro importante objetivo nesta temporada: Encerrar ou diminuir consideravelmente os casos de disputa na Fifa, que têm dado dor de cabeça ao clube mineiro. Punido já duas vezes pela entidade, a Raposa agora tenta acordos com outros casos que estão sendo discutidos na entidade maior do futebol, alguns deles já sem mais possibilidade de recurso.

Foto: Arte Sete Lagoas ViveFoto: Arte Sete Lagoas Vive

Recentemente, o Cruzeiro admitiu que negocia para pagar quatro débitos. Um deles com o Mazatlán, do México (ex-Morelia), pela contratação do atacante Riascos, em 2015. O valor inicial da cobrança é de 1,145 milhão de dólares (hoje R$ 6 milhões). Segundo Flávio Boson, superintendente jurídico do Cruzeiro, o caso não tem mais recurso.

O Cruzeiro ainda tem uma dívida com o Defensor, do Uruguai, pela compra de Arrascaeta, também em 2015, portanto, no mandato do ex. presidente Gilva de Pinho Tavares. A cobrança inicial do clube uruguaio era de 1,15 milhão de euros (hoje R$ 7,2 milhões).

O clube precisa resolver também mais um caso de cobrança de mecanismo de solidariedade pela compra de Ramón Ábila. Um valor já foi pago ao Union Florida, da Argentina. O Instituto de Córdoba também cobrava pouco mais de 100 mil dólares.

Outro caso é da cobrança do ex-técnico cruzeirense e sua comissão técnica, Paulo Bento, que passaram pelo clube em 2016, mas não conseguiram bons resultados. O valor da dívida ultrapassa R$ 1 milhão atualmente e é discutido na Fifa.

O Cruzeiro ainda precisa pagar aproximadamente R$ 600 mil, além de cerca de R$ 100 mil para cada um dos quatro assistentes do técnico português: o preparador físico Pedro Pereira, os assistentes Ricardo Peres e Sérgio Costa, além do observador técnico Vitor Silvestre.

Somando os valores cobrados (sem a inclusão de multas e juros), os valores se aproximam de R$ 15 milhões. Lembrando que o clube ainda precisa pagar 850 mil euros ao Al Wahda, dos Emirados Árabes, para não ser punido com o rebaixamento à Série C do Brasileiro.

A caminhada para colocar a casa em ordem é longa, porque o passado foi de gastos desproporcionais à realidade de qualquer clube no Brasil. A falta de gestão, marcada por absoluta irresponsabilidade e incompetência, aliada a denúncias de possíveis crimes (que ainda estão sendo apurados pela justiça), deixaram o clube em situação financeira dramática e convivendo com uma pressão terrível de credores, o que talvez possa explicar, em parte, alguns maus resultados dentro de campo, numa das temporadas mais desafiadoras da história do time celeste.

2º Tempo

O Atlético segue na mesma toada de intensidade de jogo desde a chegada do técnico Jorge Sampaolli. No último final de semana, por exemplo, a vitória fora de casa foi fundamental para as pretensões do Galo no Campeonato Brasileiro. Brigar pelo título significa superar os adversários, necessariamente, em suas casas. E, pelo estilo de jogo do argentino, as visitas do alvinegro serão impositivas. Na vitória de 1 a 0 contra o Coritiba, o time teve atuação impecável do ponto de vista tático. Se não fosse a falta de pontaria, mais uma vez, os comandados de Sampaolli teriam uma vitória mais larga.

No fim de jogo, um lance emblemático que serve de alerta para o Galo. Savarino, com o gol aberto, se precipitou na finalização. O goleiro Wilson, que havia tentado o "tudo ou nada" na área do Atlético em escanteio, estava totalmente fora do lance. A bola saiu pela linha lateral num momento em que o Coxa estava melhor na partida. A má pontaria do ataque alvinegro foi a principal responsável pelas duas derrotas da equipe na competição, diante de Botafogo e Internacional.

Até a oitava rodada, com 15 pontos em 7 jogos realizados, o aproveitamento da equipe é superior ao do Internacional. O Galo tem 71,4% de aproveitamento, contra 70,8% do Internacional, que tropeçou em casa e ficou no empate contra o Bahia. O Galo tem um jogo a menos, por causa do adiamento da partida contra o Athletico-PR. Na ocasião a equipe mineira estava disputando a final do Campeonato Mineiro, competição em que se sagrou campeã, derrotando o Tombense na final.

Democrata vai estampar a marca de Sete Lagoas durante o Campeonato Mineiro do Módulo II

Puxando a fila, como afirma o presidente Renato Paiva, o Democrata será uma das primeiras instituições a usar a marca da cidade que foi eleita em votação popular. Na sequência do Módulo II do Campeonato Mineiro, que volta em 10 de outubro, os jogadores terão na camisa o símbolo que vai representar Sete Lagoas a partir de agora. A marca vencedora foi eleita com 52% dos votos dos internautas. A eleição terminou no fim de agosto.

Entendendo a iniciativa da escolha da marca como muito importante para a cidade, Renato diz que o Democrata abraçou o projeto desde o início. “Como legítimo representante de Sete Lagoas, achamos que puxar essa fila de estampar a marca, o que muito nos orgulha, poderá despertar o desejo de fazer o mesmo nas pessoas e também nas instituições da cidade”, comentou.

O gestor disse que já foi iniciado um estudo para que a marca seja afixada também na Arena do Jacaré, importante referência e ponto turístico da cidade. “Sinto que o orgulho de ser sete-lagoano e democratense está sendo resgatado. Mais um motivo para valorizarmos as coisas da cidade”, completou.

Já dentro das quatro linhas, Paiva e toda a diretoria acertam os últimos detalhes para que os jogadores, seguindo todos os protocolos de segurança, se reapresentem nessa semana para a volta dos treinamentos com o técnico Paulinho Guará. Os atletas serão recebidos em três dias diferentes para evitar aglomerações antes de todos serem submetidos a testes para identificar, ou não, a presença do novo coronavírus.

O time terá aproximadamente um mês de trabalho antes da reestreia no campeonato, diante do Ipatinga, no Vale do Aço. O Módulo II foi paralisado, ainda em março, com o Democrata na quinta posição com nove pontos ganhos, um a menos que o Guarani de Divinópolis, quarto colocado. Para encerrar a primeira fase faltam cinco rodadas e os quatro mais bem colocados seguem para o quadrangular final, que será disputado em turno e returno. No fim do quadrangular, os 02 melhores colocados vão garantir vaga na elite do futebol mineiro em 2021.

Para seguir se reformulando dentro de campo (seis reforços foram contratados) e também fora dele, a diretoria continua a campanha para conseguir 100 adesões ao programa DemoCents antes da retomada do Mineiro. Para contribuir o torcedor precisa fazer o cadastro do cartão Mastercard no site democrata.centavosrealizam.com. Fazendo o cadastro o torcedor contribui com o arredondamento do troco de R$ 0,01 até R$ 0,99 por compra.

Momento da Velocidade

Para os amantes da velocidade o último final de semana soou como uma espécie de volta aos bons tempos da Fórmula I, com a realização de uma corrida espetacular, que teve um final totalmente improvável, sem os velhos conhecidos cruzando a linha de chegada nas primeiras posições.

Monza, na Itália, foi o palco de uma das corridas com resultado mais imprevisível dos últimos anos. Para se ter uma ideia, foi a primeira vez desde o GP da Hungria de 2012, há mais de oito anos, que um pódio não teve pilotos da Mercedes, da Ferrari e da RBR. Foi uma disputa maluca, histórica e emocionante. Das melhores da categoria nos últimos anos.

Tudo se encaminhava para mais uma vitória tranquila de Lewis Hamilton, quando Kevin Magnussen, da Haas, teve um problema mecânico e encostou seu carro na entrada dos boxes. Por ser um ponto sensível do circuito, o diretor de provas optou por colocar o safety car na pista e fechar a entrada dos boxes, pelo risco à operação de resgate do carro do dinamarquês. Toda a confusão começou aí.

Como se isso não bastasse, na relargada, o ferrarista Charles Leclerc perdeu a traseira do carro na curva da Parabólica e bateu com força. Escapou ileso, mas o trabalho para a retirada de sua Ferrari e o reparo da barreira de pneus demorou um pouco. Por isso, a corrida foi interrompida com bandeira vermelha. Após 30 minutos, a prova foi reiniciada com largada no grid. E Hamilton só poderia cumprir sua punição, de ter entrado, sem autorização, no boxe no momento do problema com Magnussen, em bandeira verde.

Resultado: a liderança acabou nas mãos de Pierre Gasly, que tinha sido chamado pela AlphaTauri para o pit stop na volta anterior à primeira entrada do safety car. Enquanto isso, seus rivais tentavam se livrar do aguerrido finlandês Kimi Raikkonen, que sofria com a falta de velocidade de sua Alfa Romeo. Isso permitiu que o francês acelerasse e abrisse vantagem.

O France foi extraordinário e ao estilo dos maiores campeões da história da Fórmula I, assumiu a liderança após Hamilton cumprir seu stop and go. Enquanto isso, Carlos Sainz se solidificava em segundo lugar. Os dois deram show em Monza, mas o tempo perdido por Sainz para tentar passar Raikkonen enquanto o rival acelerava foi decisivo. Gasly foi gigante no fim da prova e fez história na Fórmula I.

Em suma: a vantagem da Mercedes na temporada 2020 é enorme, mas dois erros estratégicos jogaram as corridas dos 70 anos e a da Itália no lixo - e quase comprometeram a vitória no GP da Inglaterra, duas semanas atrás. Se a equipe alemã pode evoluir em alguma coisa, é justamente neste aspecto.

Na classificação geral, Lewis Hamilton segue tranquilo na ponta, com 164 pontos, seguido pelo companheiro de equipe, Valtteri Bottas, com 117 e Max Verstappen, da RBR, com 110.

No próximo domingo será realizado o GP da Toscana, em Mugello, na Itália. Esta será a 9ª etapa da temporada 2020. A corrida tem início marcado para as 10:10 da manhã. Para quem curte o mundo dos esportes a motor, vale a pena conferir!

Álvaro Vilaça é formado em Comunicação Social e Marketing, apresentador de TV, ex-narrador e ex-repórter esportivo da Rádio Inconfidência de Belo Horizonte, Diretor de Programação e Coordenador de Esportes da Rádio Eldorado e do Jornal Hoje Cidade. Também é o responsável pela coluna de Esportes do Jornal Notícia e é professor de Negociação, Compras e Marketing das Faculdades Promove de Sete Lagoas. Pós-Graduado em Administração e Marketing.




Publicidade
Publicidade

Links patrocinados