Menu

Depois de 13 anos, o Democrata tenta voltar a elite do futebol mineiro em 2022 / Coluna / Álvaro Vilaça / Tempo Esportivo

1º Tempo

O Cruzeiro encerrou a sua participação na edição de 2021 do Campeonato Mineiro. Após a partida contra o América, derrota por 3 a 1 para o Coelho e eliminação no campeonato, o técnico Felipe Conceição fez uma análise da evolução do time celeste ao longo do torneio e também destacou que esse início de temporada trouxe aprendizados valiosos para o elenco, principalmente para os atletas mais jovens.

Foto ilustrativa/Reprodução: InternetFoto ilustrativa/Reprodução: Internet

Para o treinador, dentro do Campeonato Mineiro o crescimento do time ficou claro. Para ele a expectativa é de continuar o trabalho, continuar crescendo. “Lógico que algumas lições têm que ficar, são jogos tensos e que você tem que definir. Mas vários atletas do elenco que são jovens vão aproveitar esse momento de dor para crescer e tomar de lição algumas coisas pra ficarmos ainda mais fortes”, avaliou.

Já projetando a sequência do ano e a estreia na Série B do Campeonato Brasileiro, que acontecerá no fim de maio, o comandante estrelado falou sobre as peculiaridades da competição nacional e afirmou que Raposa chegará forte para buscar uma vaga na Série A de 2022.

O próximo compromisso oficial será contra o Confiança, em Sergipe, pela primeira rodada da Série B do Campeonato Brasileiro, fora de casa. Não há data definida para o confronto, mas os jogos da jornada inicial serão nos dias 28 e 29.

A equipe também terá os confrontos com a Juazeirense, pela terceira fase da Copa do Brasil. A ida será no Mineirão, e a volta em Juazeiro, nos dias 3 e 10 de junho, respectivamente, primeiras quintas-feiras do mês.

Em função do buraco no calendário, o Cruzeiro ficará quase 20 dias sem entrar em campo. Tempo suficiente para Felipe Conceição fazer ajustes na equipe e também receber alguns reforços pontuais, que são pretendidos pela comissão técnica.

2º Tempo

Atlético e América confirmaram o favoritismo na volta da semifinal do Campeonato Mineiro. Eliminaram Tombense e Cruzeiro, respectivamente, e farão a decisão do Estadual em 2021. Os dois representantes do Estado na Série A do Brasileiro voltam a duelar na final pela terceira vez nos últimos 10 anos.

Nos dois encontros decisivos anteriores, cada um levou o troféu uma vez. Em 2012, o Atlético tinha o técnico Cuca no banco de reservas e venceu o Coelho por 4 a 1 no agregado (1x1 na ida, 3x0 na volta). O Galo foi campeão invicto do Mineiro naquele ano.

O time alvinegro, que vem de 15 temporadas seguidas como finalista do Campeonato Mineiro, voltou a enfrentar o América em 2016. Desta vez, o Coelho se deu bem. O Atlético novamente tinha a vantagem do mando e do empate no placar agregado. O alviverde venceu a ida por 2 a 1, e arrancou empate na volta, em 1 a 1, na final marcada pelos três gols de Danilo Barcelos.

Ampliando o recorte de tempo, Atlético e América fizeram clássicos memoráveis em 1999 e 2001, para decidir quem era o dono da taça. Primeiro, o Galo venceu com o time que seria vice-campeão brasileiro posteriormente. Dois anos depois, veio a vingança do Deca, quando foi campeão pela 15ª vez. O outro troféu só viria na decisão de 2016.

Entre 2012 e 2016, o Atlético esteve presente em todas as finais, o América vai para a terceira, Caldense e Tombense também sentiram o gosto de decisão, e o Cruzeiro, grande rival do Galo e segundo maior vencedor do torneio na história, somou cinco presenças, com três títulos.

Cuca esteve presente na final de 2012, e vai em busca do quarto título do Mineiro na carreira. Foi tricampeão entre 2011 e 2013, um pelo Cruzeiro, e dois pelo Galo. Já Lisca atinge uma final inédita de Mineiro na carreira de técnico e, obviamente, terá a chance de ganhar o primeiro troféu deste peso na trajetória.

Democrata estreia no Módulo II fora de casa

A Federação Mineira de Futebol (FMF) divulgou a tabela da fase de classificação do Módulo II do Campeonato Mineiro. O torneio começa no dia 3 de julho com previsão de término no dia 28 de agosto. Na primeira rodada o Democrata vai até a cidade de Betim enfrentar os donos da casa.

O torneio tem a mesma fórmula do ano passado. Os 12 clubes se enfrentam em turno único, no sistema de todos contra todos, na primeira fase, que vai de 3 de julho a 28 de agosto. Os quatro melhores se classificam para a disputa do Quadrangular Final, que será disputado no sistema de todos contra todos, em turno e returno, entre os dias 4 de setembro e 2 de outubro. Os dois melhores colocados sobem para a elite em 2020.

Jogam o Módulo II: o campeão da Segunda Divisão do Campeonato Mineiro Aymorés (Ubá), o vice União Luziense (Santa Luzia), os rebaixados no Módulo 1 de 2020, Tupynambás (Juiz de Fora) e Villa Nova-MG, Betim (Betim), além de serranense (Nova Serrana), Democrata SL (Sete Lagoas), Democrata GV (Governador Valadares), Guarani-MG (Divinópolis), Ipatinga (Ipatinga), Nacional (Muriaé) e Tupi (Juiz de Fora).

Os jogos da primeira rodada são os seguintes: Betim x Democrata SL – 03/07, às 15h, na Arena Vera Cruz, em Betim; União Luziense x Villa Nova – 03/07, às 15h, no Estádio Victor Andrade de Brito, em Santa Luzia; Democrata GV x Aymorés – 03/07, às 15h, no Mamudão, em Governador Valadares; Tupi x Ipatinga – 03/07, às 15h30, no Mário Helênio, em Juiz de Fora; Serranense x Guarani – 03/07, às 16h, na Arena do Calçado, em Nova Serrana; Tupynambás x Nacional de Muriaé – 04/07, às 11h, no Mário Helênio, em Juiz de Fora.

Em Sete Lagoas, o primeiro jogo do Democrata será contra o Serranense, no dia 10 de julho, às 16 horas.

CBF divulga tabela detalhada da terceira fase da Copa do Brasil

A CBF divulgou a tabela detalhada da terceira fase da Copa do Brasil, com datas, horários e locais dos jogos. A partir de agora, as partidas são de ida e volta, com 32 times disputando as vagas das oitavas de final. O duelo que abre a terceira fase é América x Criciúma, no estádio Independência, em Belo Horizonte, no dia 20 de maio.

Na terceira fase da Copa do Brasil, entraram 12 novos times: os oito classificados para a Libertadores (Atlético, Grêmio, Flamengo, Fluminense, Internacional, Palmeiras, Santos, São Paulo), o nono colocado do Brasileirão (Athletico-PR) e os campeões da Série B (Chapecoense), da Copa do Nordeste (Ceará) e da Copa Verde (Brasiliense).

Eles se somaram aos outros 20 clubes que passaram pelas duas primeiras fases: América-MG, 4 de Julho, ABC, Remo, Bahia, Criciúma, Boavista, Avaí, Juazeirense, Vila Nova, Atlético-GO, Vitória, Corinthians, CRB, Vasco, Cianorte, Fortaleza, Bragantino, Cruzeiro e Coritiba.

Veja os confrontos dos mineiros na terceira fase da competição:

América x Criciúma: Ida (20/05): às 19h no Independência (MG); Volta (27/05): às 20h Heriberto Hulse (SC).
Remo x Atlético: Ida (02/06): às 19h no Baenão (PA); Volta (10/06): às 19h no Mineirão (MG).
Cruzeiro x Juazeirense: Ida (03/06): às 16h30 no Mineirão (MG); Volta (10/06): às 16h30 no Adauto Morais (BA).

A CBF definiu as premiações para a Copa do Brasil de 2021. Nas duas primeiras fases, os clubes foram divididos em três grupos. A partir desta terceira fase, os valores são iguais para todos os participantes. O campeão pode ganhar até R$ 73,6 milhões.

Terceira fase: R$ 1,7 milhão
Oitavas de final: R$ 2,7 milhões
Quartas de final: R$ 3,45 milhões
Semifinais: R$ 7,3 milhões
Vice-campeão: R$ 23 milhões
Campeão: R$ 56 milhões

 

Álvaro Vilaça é formado em Comunicação Social e Marketing, apresentador de TV, ex-narrador e ex-repórter esportivo da Rádio Inconfidência de Belo Horizonte, Diretor de Programação e Coordenador de Esportes da Rádio Eldorado e do Jornal Hoje Cidade. Também é o responsável pela coluna de Esportes do Jornal Notícia e é professor de Negociação, Compras e Marketing das Faculdades Promove de Sete Lagoas. Pós-Graduado em Administração e Marketing.





Publicidade

Links patrocinados