Menu

EDUCAÇÃO NA PANDEMIA / Coluna Papo de Mãe / Carol Vasconcelos

Que assunto delicado né? Mas e aí, como fica o acesso à Educação em tempos de Pandemia?

Foto ilustrativa / Reprodução: InternetFoto ilustrativa / Reprodução: Internet

Nós pais estamos além de preocupados com a saúde de nossos pequenos, também estamos perdendo o sono com a questão das aulas.

Será quando que as escolas poderão voltar? Como vamos recuperar o tempo perdido?

Já vimos que aulas remotas e on-line não tem o mesmo resultado quanto às aulas presenciais, os pequenos perdem a interação social que é fundamental para o desenvolvimento, além disso não conseguem assimilar o conteúdo devido a vários fatores, não é?

Em casa além das diversas distrações, o principal seria dar um suporte adequado para que o pequeno não se perca em meio a tantas informações, mas vamos ser sinceros, você pode abandonar o seu emprego ou tem tempo de adequar seus horários, ou ainda tem a pedagogia e conhecimento para auxiliar da maneira correta? Eu também não!

E independente de qual instituição nossos filhos estudem as dificuldades ocorrem. Na escola pública o ensino foi praticamente esquecido, as crianças não têm condições e nem acesso a tecnologia básica para acompanhar tais conteúdos, e nós pais não temos capacidade de estar ali do lado para acompanhar.

Na escola privada, além das cobranças algumas instituições estão sobrecarregando as crianças de conteúdo, pressionando para entrega de atividades nos prazos estipulados que nem se os bichinhos fossem 3 iam conseguir se adaptar, somente para que nós pais “OS CLIENTES”, tenhamos uma sensação falsa de que pelo menos o seu filho está tendo acesso a informação!

Mas até em que ponto isso é satisfatório? E o tempo perdido? E o emocional do seu filho e da sua família?

Aqui em casa percebi que estávamos cada um por si e isso prejudicou demais o emocional das minhas filhas. Até chegar ao ponto do basta! Vi que precisamos conversar com eles sobre esse período tão delicado, mas não é só falar que estamos em pandemia e é perigoso aglomerar, que não é seguro o contato e etc...

Mas o diálogo tem que partir do principio de que eles estão passando por dificuldades e não conseguem assimilar e nem mesmo externar o que estão sentindo. Notei então a mudança de comportamento delas, estão mais irritadiças (também estou rsrs), quem é o ser humano que está aguentando ficar trancado em casa? Nossa rotina mudou completamente, tive que levar o meu trabalho pra casa e por mais que isso seja legal em certo ponto é um terror em outro por que o meu horário de trabalho agora é de manhã a tarde e a noite, isso me sobrecarregou muito. O horário de aula das crianças também mudou e agora sempre que sobra um tempo, temos que dedicar aos estudos, o que tem tirado o prazer delas em estudar. E aí eu te pergunto: Como não enlouquecer e ajudar as crianças em tempos de aula online?

Dicas para sobreviver e ajudar seu filho nas aulas online:

Tempo e rotina de estudos

• Escolha um local tranquilo, iluminado sem interferência de ruídos e se
possível utilizar sempre o mesmo local.
Rotina de estudos
• Manter uma rotina programada para os estudos;
• Sempre que houver necessidade, dar um intervalo para a criança;
• Programar os horários em que irão realizar as atividades para casa;
• Ter também tempo para as brincadeiras;
• Deixar que a criança se expresse em relação à nova rotina, adaptando o
que for possível.

Rotina em casa

• Manter a rotina de alimentação;
• A hora de dormir e levantar deve ser a mesma de antes;
• Tirar sempre o pijama;
• Tentar que seja o mais próximo possível do que era antes da pandemia;
• Conversar com a criança sobre a rotina dos pais, em caso de home
office.

A criança

• Não exigir da criança mais do que ela pode dar naquele momento;
• Tentar compreender que para ela a mudança de rotina também está
sendo difícil;
• Fortalecer a interação com os colegas, de forma remota, durante a aula
e em outros momentos;
• Entender seus sentimentos e suas dificuldades, falar sobre isso com ela;
• Focar na qualidade do que ela faz, não na produtividade.

Dicas gerais

• Atividades físicas antes de momentos que requerem atenção ajudam a
aumentar o foco;
• Atividades diárias da casa e pequenas responsabilidades podem ajudá-
la a sentir-se mais segura e útil;
• Controlar o tempo que fica em jogos eletrônicos, incentivar outros tipos
de brincadeiras;
• Manter o ambiente de aula e estudo organizado;
• Não se sentir culpado por não dar conta de tudo. Fazer o que é possível.

 

Mulher, Mãe, Divorciada, Graduada em Logística e Pós-Graduada em Gestão de Projetos, Coach Life and Business. Criadora do Blog Terapia de mães.

Visite o blog desta colunista: terapiademaes.blogspot.com