Menu

Dê um trocado pro seu bruxo! / Coluna / Vanessa Stehling / Cultura Pop

Olá, pessoas, e bem-vindos para quem não me conhece ainda! Eu sei que é uma coluna, tem um textão e confesso que muita gente (falo sobre mim) tem preguiça de ler algo com mais de algumas linhas, mas prometo ser a mais sucinta e legal com as palavras. Então, vem comigo nessa super aventura!

THE WITCHER

Foto: DivulgaçãoFoto: Divulgação

A mais nova série de ficção da Netflix. Vou tentar resumir para 3 tipos de pessoas:

As que nunca ouviram falar sobre: para você que foi procurar algo para assistir e ficou assustado em ver a cara do ator de Super Homem com uma peruca branca, não se desespere! A história é baseada nos livros, que depois virou jogo e agora, série. Geralt de Rívia (Henry Cavill, Mais conhecido como Super Homem ou Homem de Aço, ou meu marido), um solitário caçador de monstros, luta para encontrar seu lugar em um mundo onde as pessoas muitas vezes se mostram mais perversas que as bestas. Mas quando o destino o leva à poderosa feiticeira Yennefer de Vengerberg (Anya Chalotra) e à jovem princesa Cirilla (Freya Allan) com um perigoso segredo, os três precisam aprender a viajar juntos pelo crescente e volátil continente (texto copiado do Wikipédia, achei bonito e bem explicado, então copiei mesmo).

As que já ouviram falar, mas quando foram assistir, não entenderam nada: a série é uma adaptação dos livros, e para entender o contexto todo, tiveram que resumir a história dos dois primeiros, colocar em 3 linhas do tempo distintas e dividir a trama de 3 personagens diferentes. Ou seja, você não está pirado da cabeça, fique sossegado. Minha dica é pesquisar no YouTube sobre cada episódio explicado. O negócio é confuso mesmo.

As que são fãs: tirando a lente de contato super falsa do Henry Cavill, a série cumpre o esperado pelos fãs e já está fechado o contrato para as próximas temporadas. Vale a pena.

PARASITA

Ultimamente, tenho ligado a TV e diante de tantas entregas de prêmios no mundo cinematográfico, algo me chamou atenção: um filme coreano levando estatuetas em meio a Tarantino e outros tantos talentos da indústria de Hollywood.

Parasita é um filme muuuito legal. Sério, assistam! (Já aviso que não está na Netflix, mas, calma! Não pare de ler neste momento só por causa disso. No final do texto, darei um link que permite assistir através daquele aparelho topzera que você comprou no shopping Oiapoque para acompanhar suas séries e canais de TV de graça, sim, estou ligada nesses seus paranauês). Voltando, quando eu li o título, achei que era algo sobre bichos, baratas ou doenças parasitárias, mas é uma história sobre nepotismo, quase igual aquela de um prefeito de Sete Lagoas que colocou a família inteira pra trabalhar juntinho dele, lembram? Mas vamos à sinopse: toda a família de Ki-taek está desempregada, vivendo em um porão sujo e apertado, mas uma obra do acaso faz com que ele comece a dar aulas de inglês a uma garota de família rica. Fascinados com a vida luxuosa destas pessoas, pai, mãe e filhos bolam um plano para se infiltrarem também na família burguesa, um a um. No entanto, os segredos e mentiras necessários à ascensão social custam caro a todos.

Espero que gostem, tanto quanto eu. Ah! Segue o link como prometido: encurtador.com.br/goqvM

Graduada em Publicidade e Propaganda, pós-graduada em Rádio e TV. Ilustradora, designer, metida a sinuqueira e telespectadora assídua de séries e filmes em alta velocidade.





Links patrocinados