Menu

10 dicas para conciliar home office e filhos pequenos

Você que têm filhos pequenos viu a sua rotina mudar radicalmente quarentena e o isolamento social. Logo de cara a maioria dos estados no Brasil suspendeu as aulas e pediram aos pais que não deixassem as crianças com os avós pelos riscos de contaminação. E quando tudo parecia quase perdido, como naquelas viradas dramáticas de novela, as pessoas depararam com a quarentena e o regime de home office.

Foto: Re/ilustrativaFoto: Re/ilustrativa

Como lidar com crianças pequenas que exigem atenção e seu trabalho?

Confira abaixo uma lista de 10 dicas elaboradas por Carlson que podem ajudar os pais empreendedores no home office e em toda a quarentena.

1. Ensine independência

As crianças precisam saber o que é ter uma tarefa e cumpri-la. Outra noção importante é: quando temos uma responsabilidade, algo a fazer, não podemos ser perturbados. Como ensiná-los isso? Dê a seus filhos um cronômetro e diga-lhes para ler, brincar ou realizar qualquer atividade por esse período determinado.

Caso eles não estejam acostumados, comece com períodos pequenos, como 15 minutos, e com o tempo incremente até uma hora cheia.

Também é possível transmitir noções de independência atribuindo tarefas simples, como fazer o próprio lanchinho da tarde.

2. Estabeleça um cronograma específico (mas não seja inflexível)

As crianças estão acostumadas com horários - e a escola tem um papel importante nisso. Portanto, defina horários para tarefas que permitam que você trabalhe.

É claro que isso deve ser adaptado de acordo com a idade. Embora um adolescente do ensino médio aproveite, e muito, o tempo de inatividade para seu lazer, os mais jovens provavelmente gostarão da novidade de uma rotina diferente.

Segundo Elisette, essa dica dá certo com seu filhos, já que a rotina bem delimitada e escrita os ajuda a entender os momentos em que eles vão “trabalhar” independentemente (seja usando um aplicativo de aprendizagem ou com atividades como artes, quebra-cabeças, escrita ou bloquinhos de construção), bem como os momentos em que os pais ensinam ou brincam ativamente.

No caso da programação feita por Elisette, a leitura e a matemática, no tablet, são realizadas pela manhã, seguidas de lanche e recreio. Isso permite um bloco de trabalho de três horas bastante sólido para a empreendedora.

Depois disso, ela encara uma atividade em que interaja com os pequenos, como uma aula de história, um experimento de ciências ou uma aula de espanhol, que tende a ser mais agradável para todos.

Outra atividade para inserir na agenda é a "Oficina do Escritor". Você pode adaptar como quiser, mudando o gênero de texto a ser pedido e relacionando com algo que esteja acontecendo na vida das crianças.

“Ontem, a proposta foi escrever duas cartas a um amigo, professor ou membro da família para alegrar seus dias durante esses tempos assustadores. A maioria das crianças sente falta dos amigos e se preocupa com isso muito mais do que uma queda na bolsa de valores. Portanto, agende uma ligação do FaceTime com um de seus amigos no final do dia como recompensa”, conta.

Seja flexível na programação diária - assim como temos que ser na vida. Não há problema em mudar determinados horários para, por exemplo, encaixar as videoconferências.

3. Ensine-os tarefas domésticas

Ter filhos em casa o dia todo significa mais roupas para lavar, mais pratos, mais refeições e mais tarefas de casa.

É verdade que a empolgação trazida pela novidade de secar os pratos ou guardar a louça desaparecerá, mas não desanime. Siga elogiando seu filho por ter senso de responsabilidade e cuidar da casa - que é dele também.

Isso ajuda a criar bons hábitos e permite mais tempo de trabalho.

4. Crie um ambiente de atividade para seus filhos

Garanta que o local de trabalho dos pequenos seja limpo e livre de distrações, como brinquedos, e equipe-os com cadernos, canetas, lápis e alguns fones de ouvido com cancelamento de ruído.

5. A tecnologia é sua amiga

Muitas escolas já utilizam alguma plataforma online de atividades e até mesmo tablets. Fazer o mesmo em casa, segundo Elisette, é ótimo, especialmente com programas adaptáveis de acordo com o nível de aprendizagem e as habilidades. Uma maneira de encontrar esses aplicativos é pedindo indicações para professores.

Apenas certifique-se de configurar o nível certo para o seu filho - atividades para alguém mais velho podem gerar o sentimento de frustração - e reserve um tempo para participar de uma lição, assim você pode verificar o nível dos desafios.

6. Reveze-se com seu parceiro ou familiares e amigos

Se você tem um prazo ou horário específico em que precisa estar em uma ligação, reveze-se com seu parceiro para que ele ou ela esteja encarregado de supervisionar as crianças durante esse período.

7. Tente adaptar atividades extracurriculares no Skype ou FaceTime

Assim como usamos FaceTime, Zoom e Skype para nos comunicarmos com nossas equipes, é possível fazer o mesmo com algumas atividades dos pequenos. Aulas de música via videochamada certamente não são como as presenciais, mas é possível conectar seu filho com o professor para praticar.

Esse é apenas um exemplo de adaptação que pode ser sugerido tanto pelos pais quanto pelo professor ou instrutor. Inclusive, é uma maneira de manter as atividades, oferecer descontos e receber algum pagamento nesses tempos tão difíceis.

8. Agende horário para o recreio

Se seus filhos estão felizes brincando sozinhos, é possível aproveitar esse tempo para trabalhar. Entretanto, se você puder participar do recreio com eles, vai ficar surpreso ao notar que 15 minutos para descansar, dançar ou jogar um jogo de tabuleiro contribuem para sua própria felicidade e produtividade.

Segundo Elisette, trabalhar em casa significa que você não está se deslocando, por isso não sinta a necessidade de se sentir ocupado o tempo todo. “Para a saúde de nossos corpos e mentes, precisamos desse tempo de brincadeira e risada - agora mais do que nunca”, diz ela.

9. Seja firme

Caso a atividade não agrade muito, as crianças provavelmente tentarão se safar - quem convive com um pequeno sabe como eles são extremamente inteligentes. É importante ser firme, assim como acontece na escola.

Ajude-os a entender que esse é um período diferente. A fase não é permanente, mas você precisa da compreensão deles para que os pais ou qualquer outra pessoa que participe diariamente da criação possam trabalhar para continuar a providenciar uma casa, refeições, diversão etc. Certifique-se de fazer isso sem assustá-los - se a situação é difícil de entender para adultos, imagine para eles.

10. Recompense

Gente grande gosta quando seu trabalho é valorizado, seja por colegas ou por chefes. Com as crianças não é diferente. Encontre um horário no final do dia para se unir e conversar sobre os desafios e realizações do dia.

“Para nós, é na hora do jantar. Também não permitimos televisão ou videogame durante a refeição, mas dizemos que, se seguirem o cronograma, poderão assistir 30 minutos de TV à noite. E se, por algum motivo, você tiver mais trabalho a fazer e as crianças tiverem 60 minutos de TV, não se importe com isso. A principal vantagem aqui é incentivar seus filhos e mostrar-lhes que bons alunos são recompensados”, completa Elisette.

Não vai durar para sempre!

A crise do coronavírus não é permanente. Esperamos que, em um futuro próximo, possamos olhar para trás e lembrar como deu tudo certo no final. Não há um roteiro para trabalhar enquanto seus filhos estão em casa, e não há problema em que as coisas mudem à medida que o tempo avança, de acordo com Elisette.

“Em nossa casa, o lema é ‘acompanhe o fluxo’. A incerteza e o medo nos desafiarão como empreendedores, mas é disso que se trata ser empreendedor. É saber como reagir, adaptar e tomar as decisões mais inteligentes para o nosso trabalho e estilo de vida”, completa.

Da Redação com Pequenas Empresas e Grandes Negócios




Publicidade
Publicidade

Links patrocinados