Menu

Em nota, Atlético critica retrocessos nos protocolos para eventos por conta da variante Ômicron

O Atlético divulgou uma nota na manhã desta quarta-feira (19) criticando possíveis revisões nos protocolos de segurança da Covid-19 em todo o estado e também na capital, como sugeriu o conselho de combate ao coronavírus da Prefeitura de Belo Horizonte da proibição de grandes eventos incluindo jogos de futebol para restingir o contágio pela variante Ômicron, dominante nos centros de saúde.

Foto ilustrativa/Reprodução: InternetFoto ilustrativa/Reprodução: Internet

No comunicado, o clube citou que este de ação seria "injusto ao futebol" e que o momento não pode ser tratado com demagogia, já que o acesso aos campos somente se dá com testagem negativada para contaminação em até 72 horas antes dos jogos. O Atlético ainda cita, sem comprovação, que a variante Ômicron é "mais branda", o que só ocasiona apenas sintomas semelhantes da gripe.

Confira na integra a nota do Atlético: 

Sobre as notícias veiculadas na mídia, a respeito de eventual restrição de público nos estádios de nosso estado, durante os jogos do Campeonato Mineiro, o Atlético afirma ser absolutamente contrário a qualquer medida nesse sentido.

Iniciativa nessa linha seria completamente injustificada porque o futebol não pode ser tratado de forma diferente das demais atividades. O momento exige cuidado, o que não pode ser confundido com atitudes demagógicas.

O acesso aos estádios é permitido somente para pessoas plenamente vacinadas ou com teste negativo para Covid, realizado no período de 72 horas que antecede as partidas. Portanto, o ambiente do futebol é muito mais controlado que outros que funcionam normalmente, como transporte público, feiras, shoppings, transporte aéreo, restaurantes, cinemas, hotéis e eventos, entre outros.

Além disso, o aumento momentâneo do número de casos de Covid refere-se a uma variante mais branda do vírus, que ocasiona, na quase totalidade dos casos, somente sintomas leves de gripe.

É preciso considerar que eventual restrição de público nos estádios de Minas Gerais seria um desrespeito aos torcedores e causaria sério impacto para os clubes mineiros, que iniciam, na próxima semana, a disputa do campeonato estadual.

Enquanto isso, Minas bate recorde de casos

A Secretaria de Estado de Saúde (SES-MG) divulgou na tarde desta quarta-feira (19) 27.683 novos casos de Covid-19 nas últimas 24 horas, o maior número desde o início da pandemia. Isso significa uma média de 1.1.53 infecções por hora. Cidades como Sete Lagoas já comunicaram o retrocesso de medidas de flexibilização, como a volta do uso de máscaras nas ruas e suspensão de todo tipo de festejo público ou privado de Carnaval, como divulgado pelo SeteLagoas.com.br na noite da última terça (18).

Da redação

 



Publicidade

Links patrocinados MGID