Menu

Trânsito no entorno da catedral de Santo Antônio deve mesmo ser reaberto, mas data ainda é incerta

Foi consenso entre os participantes de Audiência Pública que o trânsito no entorno da catedral de Santo Antônio deve ser reaberto para veículos leves sete anos depois de ser bloqueado por, entre outros motivos, abalos à estrutura da igreja. O debate sobre o tema aconteceu nessa quarta-feira (09), na Câmara Municipal, e reuniu representantes do Executivo, da paróquia de Santo Antônio, além de vereadores.

Catedral de Santo Antônio / Foto: Setelagoas.com.br Catedral de Santo Antônio / Foto: Setelagoas.com.br

A sessão foi requerida e presidida por Milton Martins (PSC) que ouviu do secretário municipal de Segurança, Trânsito e Transporte, Wagner Oliveira, que dois motivos travam a retomada imediata dos veículos. “Temos que apresentar o projeto ao Conselho Municipal do Patrimônio Cultural (COMPAC). E essa reunião deve acontecer na próxima semana. E com tudo dentro da legalidade depois é fazer a licitação para executar o projeto”, disse sem arriscar uma data para o término das alterações.


Um portal para evitar a passagens de veículos de grande porte, um semáforo para pedestres e duas faixas elevadas de travessia contemplam o projeto que foi elaborado pela Seltrans. As autoridades que participaram da sessão se mostraram favoráveis com a reabertura, mas com uma exigência.

“Desde que seja seguro para todos”, disse o pároco Padre Wilson. O diretor do Colégio Franciscano Regina Pacis, Cláudio Raposo, foi na mesma linha e pediu que sejam observados o “patrimônio e a segurança das crianças vão atravessar a rua”. O representante dos comerciantes e moradores da Rua São José, Ubirajara Alencar, entende que “perdemos demais pelo fato de não poder transitar ali”.

O presidente da sessão ficou satisfeito com tudo que foi colocado e reafirmou que “esse é o papel da Câmara Municipal. Ouvir todos os envolvidos para que as decisões não sejam tomadas de forma unilateral”. Os vereadores Zé do União (PSL), Marli de Luquinha (PSC), Gislene Inocência (PSD) e Claudio Caramelo (PRB) também acrescentaram nos debates, se mostraram favoráveis à mudança e estão dispostos a contribuir no que for possível para o melhor para a cidade.

Como encaminhamento Milton Martins nomeou uma comissão que vai acompanhar o Executivo na reunião junto ao COMPAC e vai ainda passar o andamento dos trabalhos aos moradores e autoridades envolvidas. Além de Martins, estão na comissão Zé do União, Marli de Luquinha, Gislene Inocência e Caramelo.


Da Redação com Ascom Câmara



Publicidade
Publicidade

Comentários   

Carlos Alberto
0 #4 Carlos Alberto 15-08-2017 12:17
Sempre achei um absurdo o impedimento de trânsito neste local.
Citar
Michele Barbosa
-1 #3 Michele Barbosa 12-08-2017 15:31
Acredito que a preservação de um patrimônio seja muito mais importante que o trânsito e o comércio da rua São José.
As pessoas se preocupam demais com seu próprio bem estar e se esquecem que tal decisão, coloca em risco uma catedral centenária. Ainda devemos lembrar que haverá uma grande poluição sonora e visual ao liberar o tráfego no local, prejudicando assim as celebrações rotineiras e tumultuando um ponto turístico.
Citar
ronaldo avelar
0 #2 ronaldo avelar 11-08-2017 10:14
Será que este vereador e o secretário não tem coisas mais importante pra resolver em prol de sete lagoas!!!!!! . Trecho já ta fechado há vários anos e o transito funciona normal , ninguém lembra mais que esta área já teve transito livre .. No minimo este secretário vai fazer jardim , pq isto é a única competência dele ....
Citar
Maria Cecília
+2 #1 Maria Cecília 11-08-2017 08:45
Que bom. Sete Lagoas já tem mais de 100 mil veículos em circulação. Tem que liberar as vias para desafogar o transito.
Citar

Adicionar comentário


Código de segurança
Atualizar