;
Menu

  • A+ A A-

Arte e Cultura

Folclore

Em 1965, o Congresso brasileiro oficializou o dia 22 de agosto como o Dia do Folclore, numa justa homenagem à cultura popular brasileira. A palavra folclore tem origem no inglês antigo, sendo que "folk" significa povo e "lore" quer dizer conhecimento, cultura. O folclore brasileiro é a nossa cultura e é o que há de mais nacional. Ele é o conjunto das tradições culturais dos conhecimentos, crenças, costumes, danças, canções e lendas dos brasileiros de norte a sul. Formada pela mistura de elementos indígenas, portugueses e africanos.

Em todas as partes do mundo, cada povo tem seu folclore, sua forma de manifestar suas crenças e costumes. O folclore se manifesta na arte, no artesanato, na literatura popular, nas danças regionais, no teatro, na música, na comida, nas festas populares como o carnaval, nos brinquedos e brincadeiras, nos provérbios, na medicina popular, nas crendices e superstições, mitos e lendas.

Há as danças típicas das festas populares, como o bumba-meu-boi, o forró, a congada, a quadrilha além do carnaval, um verdadeiro símbolo de nosso país. Um dos aspectos mais interessantes do folclore brasileiro, porém, são os seres sobrenaturais que povoam as lendas e as superstições da gente mais simples. O mais popular é o Saci, um negrinho de uma perna só, que usa um barreta vermelho, fuma cachimbo e adora travessuras, como apagar lampiões e fogueiras ou dar nó nas crinas dos cavalos.

Mas há vários outros seres fantásticos em nosso folclore: o Curupira, um anão de cabelos vermelhos, que tem os pés ao contrário; a Mula-sem-cabeça, que solta fogo pelas narinas; a Boiúna, cobra gigantesca cujos olhos brilham como tochas; e o Lobisomem, o sétimo filho homem de um casal, que vira lobo nas sextas-feiras de luas cheias, entre outros.

Em Sete Lagoas, o Folclore é muito referenciado. Todo ano acontece a Semana do Folclore em agosto no Casarão. O evento reúne grupos tradicionais como Congados, Guardas de Congos, Moçambiques, Pastorinhas, Folias de Reis, Contadores de História, Marajados e danças folclóricas, dentre outros.

Festa do Folclore de Sete Lagoas
Categoria: Populares / Folclóricos
Data: Agosto
Local: Anfiteatro do Casarão Nhô Quim Drummond
Endereço: Praça Tiradentes, 257

Artesanato

A história do artesanato mineiro começou no século XVII, durante o Ciclo do Ouro. As técnicas artesanais foram se desenvolvendo, com influências diversas, com destaque para o trabalho de mestres artesãos italianos e portugueses. Hoje em dia, ainda há produtos como esculturas em madeira e barro, cerâmica de alta e baixa temperatura, joalheria ,tecelagem produzidos por artesãos. O Artesanato de Minas é uma das mais fortes expressões culturais do Estado sendo fonte de renda e incentivo ao turismo, beneficiando e distribuindo renda as mais diversas camadas da população.

Existe em Sete Lagoas, um artesanato famoso internacionalmente, da instituição SERPAF. Ele é feito com cipó pelos artesãos do Clube de Mães. O SERPAF foi fundado em 1968 por Helena Rodrigues Branco, que defendeu a idéia da intervenção social em famílias vulneráveis social e moralmente e não apenas para crianças e adolescentes nestas situações. O envolvimento da família como um todo era e é o princípio fundamental do SERPAF. Foram criados Clubes de Mães, para artesanato; diversos cursos profissionalizantes para adultos e jovens; mutirões para construção de casa própria; campanhas contra verminoses; hortas comunitárias, entre outras inúmeras ações. Contando com o apoio de organizações governamentais e não governamentais, a empresa é hoje o maior programa social civil da região de Sete Lagoas, atendendo 780 crianças e adolescentes e, em média, 400 famílias, todas consideradas em situação de vulnerabilidade social - renda per capta inferior a œ salário mínimo vigente.

Artes Plásticas

A arte brasileira começa de fato com o barroco, que se desenvolve especialmente em Minas Gerais no século XVIII. A arquitetura e a escultura sacra são as principais produções. No começo do século XIX, com a chegada ao país da missão artística francesa, contratada por dom João VI para instituir o ensino oficial de artes no Brasil, tem início o neoclassicismo, movimento que propõe o retorno aos ideais clássicos. No país, a tendência torna-se mais visível na arquitetura. De 1850 a 1920 predominam as manifestações artísticas centradas na Academia Imperial de Belas-Artes, fundada em 1826. A academia transmite as principais tendências da arte européia nesse período, como o romantismo, o realismo, o naturalismo e o simbolismo. Somente na década de 20, com o modernismo e a realização da Semana de Arte Moderna de 1922 no Teatro Municipal de São Paulo, o Brasil elimina o descompasso em relação à produção artística internacional. Ao mesmo tempo em que é inspirado em diversas estéticas da vanguarda européia do século XX, como impressionismo, expressionismo, fauvismo, cubismo, futurismo, dadá e surrealismo, o movimento defende uma arte vinculada à realidade brasileira.


Literatura

O escritor que mais se destacou na cidade foi Jovelino Lanza autor do livro Minha Sete Lagoas de 1958, lançado pela editora Carneiro e Cia. No ano seguinte, 1959, ele lançou também Minha Sete Lagoas Crônicas. Outro escritor foi Vasconcelos Costa com um livro bastante conhecido também, De Sete Lagoas aos Sete Mares da editora Itatiaia Limitada. As obras podem ser encontradas no site: http://www.estantevirtual.com.br

Outros autores foram surgindo, mas esses dois são os de mais destaque.

Dança

Há mais de 20 anos no mercado, o Expressar Studio de Dança tem reconhecimento nacional, internacional, já recebeu prêmios em concursos e além do mais já representou o Brasil na Argentina, Cuba, Alemanha e outros países. Oferece dança contemporânea como jazz e o próprio balé clássico.

Música

Este tópico está aberto para que toda comunidade de música de Sete Lagoas possa divulgar seu trabalho. Entrar em contato pelo e-mail:

Este endereço de email está sendo protegido de spambots. Você precisa do JavaScript ativado para vê-lo.


Publicidade