Menu

Sete Lagoas > Notícias > Região

Ex-candidato a governo de MG é detido para depor sobre morte de jovens em Betim

  • Categoria: Minas

Entre os levados para a delegacia durante investigação da Polícia Civil sobre o assassinato de duas adolescentes menores de idade na madrugada deste sábado (18), durante uma orgia em um sítio de Betim, na região metropolitana de Belo Horizonte, está o ex-candidato ao governo de Minas Eduardo Ferreira de Souza, que concorreu ao cargo em 2014 pelo PSDC. No ano passado, ele concorreu à Prefeitura de Contagem pelo PRTB, conquistando apenas 1.120 votos.

Eduardo Ferreira ex-candidato ao Governo de Minas é um dos detidos do crime contra adolescentes em Betim/Foto: OTEduardo Ferreira ex-candidato ao Governo de Minas é um dos detidos do crime contra adolescentes em Betim/Foto: OT

Atualmente, Ferreira atua como Administrador Regional do bairro Riacho na Prefeitura de Contagem. Em contato com a reportagem, a assessoria de imprensa da administração municipal afirmou que preza pela idoneidade de todos os seus servidores e, por isso, irá exonerar Eduardo Ferreira da função. Ele foi levado neste sábado (18) à Delegacia de Homicídios de Betim para prestar esclarecimentos, visto que, na sexta (17), Eduardo esteve presente no sítio.

Em contato com a reportagem, o advogado e irmão de Eduardo Ferreira, William Ferreira, negou que ela tenha sido preso. "O Eduardo foi convidado a prestar esclarecimentos na delegacia, mas apenas isso. Ele realmente passou no sítio, a convite de um conhecido, mas foi embora antes das 19h, antes de qualquer confusão", diz. Ainda segundo o advogado, há comprovantes de compras realizadas na noite de sexta-feira (17) que provam que, no horário dos acontecimentos, Eduardo Ferreira já não estava no sítio.

A investigação

As primeiras informações da investigação dão conta de que um grupo especializado em aliciamento de menores promovia esse tipo de "festa" semanalmente no local. De acordo com o delegado Rodrigo Rodrigues, os eventos costumam ser frequentados por políticos e integrantes de organizações criminosas.

"É uma rede de influências que usam com essas pessoas poderosas. Essas festas eram organizadas semanalmente e tinham até meninas fixas para alguns dos frequentadores", conta.

Desentendimento

Antes do assassinato, as duas jovens teriam se desentendido com dois membros do grupo, chegando haver uma discussão acalorada. A festa acontecia na região do bairro Vianópolis, em Betim. Os corpos foram encontrados perto de um forró, no bairro Granja Santo Afonso, às margens da MG–060. A Polícia Civil ainda investiga se houve tentativa de estupro.
Entre os outros detidos, estão o dono do sítio e caseiro do local. Os três detidos foram ouvidos e encaminhados para o Centro de Remanejamento do Sistema Prisional (Ceresp) de Betim.

De acordo com o boletim de ocorrência da Polícia Militar (PM), depois de manter as vítimas reféns por duas horas, os criminosos pararam no meio de uma estrada, perto da MG–060, e atiraram no peito e no braço de uma adolescente de 16 anos, que se fingiu de morta. Eles abandonaram a vítima e seguiram viagem com as outras duas jovens de 17 e 16 anos.
O crime teria acontecido às 23h50 de sexta-feira. Minutos depois, os corpos das outras duas jovens foram abandonados no caminho, sendo a última em Esmeraldas.

Segundo a PM, uma vítima teria levado nove tiros na cabeça, e a outra, dois tiros na cabeça e um na mão. Já a garota que simulou a morte conseguiu pedir ajuda para moradores da região e segue hospitalizada. O delegado orientou que todas elas saíssem da cidade.

Depoimentos

Os familiares das garotas que morreram disseram que elas eram muito amigas e saíram de casa, no bairro Maria da Conceição, em Contagem, na região metropolitana, escondidas, a convite de um homem mais velho, conhecido como Val, que está preso. Ele seria o organizador da festa.

Outras duas adolescentes, que estavam presentes no momento em que as vítimas foram levadas, prestaram depoimento ontem. Elas participavam da festa no momento da briga.

Nota do Democracia Cristã

O presidente Estadual do PSDC, Alessandro Marques, através de nota oficial, disse que Eduardo Ferreira se desfiliou ainda em 2014, depois da eleição. Leia na íntegra:

"Venho, por meio deste, esclarecer que o Sr. Eduardo Ferreira de Souza, não faz parte do quadro de afiliados, ou tem qualquer vínculo com o Democracia Cristã - Antigo Partido da Social Democracia Cristã - PSDC. O Sr. Eduardo se desfiliou ainda em 2014 e, portanto, nosso partido nada tem a declarar sobre os fatos recentes noticiados na mídia".

Da Redação com OT