Menu

Banda Nem Secos fará show no Opinião Pub nesta sexta (10)

A Tropicália chegou aos 50 anos em 2017 mais viva do que nunca. A revolução musical, estética e comportamental desencadeada por um grupo de artistas ousados no final dos anos 1960 ainda influencia com sua liberdade criadora toda produção cultural brasileira.

Banda Nem Secos / Foto: CharcharBanda Nem Secos / Foto: Charchar

O Show TROPICÁLIA 50 ANOS do Grupo Nem Secos celebra o movimento em grande estilo. O ponto de partida é a Tropicália, mas fiel ao espírito tropicalista de unir linguagens e enveredar por novos caminhos, os artistas exploram todas as trilhas em que a explosão de criatividade dos anos de rebeldia deixou seus estilhaços. “É Permitido Permitir”, esse é o tema do Show.

NEM SECOS

“Qualidade musical aliada a um discurso potente e libertário.” Assim definiu o trabalho do Nem Secos o editor de cultura do Portal R7, Miguel Arcanjo Prado, destacando ser “uma das melhores coisas que a atual cena musical mineira produziu.”

Diversidade de sons e ritmos, união de linguagens artísticas, engajamento social, muita cor e animação no palco. Esses são alguns dos elementos que levaram o Grupo NEM SECOS, com seu espetáculo autoral, a ser escolhido entre milhares de concorrentes de todo o Brasil para integrar a programação oficial do Ministério da Cultura para a Copa 2014, além de outras apresentações de destaque, como no Conexão BH e em duas Viradas Culturais de Belo Horizonte.

A marchinha “Homem de saia”, finalista do Concurso Mestre Jonas em 2017, é mais uma iniciativa do Nem Secos no questionamento dos padrões de gênero, dando continuidade ao movimento iniciado com o clipe Nem Rosa Nem Azul, produzido pelo grupo e que reuniu 28 artistas da cena musical de BH.

O engajamento do Grupo em causas sociais e culturais não se reflete apenas nas letras das canções, que sintetizam a filosofia do Grupo: a autodeterminação das pessoas para conduzirem suas vidas com imaginação, contra todas as formas de opressão e preconceito. O Nem Secos ocupa ainda uma posição de destaque no fomento da vida cultural de Belo Horizonte com a atuação do Centro Cultural Nem Secos, que por cinco anos produziu e apresentou mais de 300 shows de artistas da cidade com entrada franca para a população, além de oferecer à comunidade estúdio de gravação e ensaio, biblioteca e lan house gratuita.

NEM SECOS – TROPICÁLIA 50 ANOS

Carlos Linhares – Baixo e Voz
Carolina Claret - Voz
Leonardo Clementine – Guitarra, Trombone e Voz
Luã Linhares – Teclado e Voz
Pablo Campos – Bateria e Voz

Com Opinião Pub



Publicidade
Publicidade

Adicionar comentário


Código de segurança
Atualizar