Menu

Thiago Neves conta que jogava com dificuldades no estilo de jogo de Mano e elogia trabalho de Ceni

“Agora estou jogando do jeito que gosto”. O autor da frase é Thiago Neves. E ela funciona não apenas como a síntese de sua entrevista coletiva, realizada na tarde dessa quarta-feira (21), na Toca II, como também ilustra o quão feliz o meia está neste início de trabalho de Rogério Ceni no Cruzeiro.

Foto: Bruno Haddad/Cruzeiro /Foto: Bruno Haddad/Cruzeiro /

O armador revelou que em algumas ocasiões em que Mano Menezes era treinador, jogou no sacrifício. Além disso, deixou claro que pode render mais com a estratégia proposta por Ceni, como ficou evidenciado nos 2 a 0 em cima do Santos.

“Não estava numa forma física boa, o Robinho e eu jogamos algumas partidas machucados. Pouca gente sabe. Mas estávamos ali fazendo o possível para ajudar. Sou um dos principais jogadores. Graças a Deus estou 100% agora. Vou me doar ao máximo”, afirmou Neves, que disse ter corrido 10,800 km no confronto ante o Peixe.

“Foi a partida que mais corri (no ano). É preferível ficar mais com a bola no pé. Gosto de jogar solto e organizar o time. Antes, eu não estava conseguindo fazer isso. Agora com o Rogério, isso está sendo possível”, declarou o camisa 10.

Neves deu a entender também que, a partir da filosofia de trabalho de Ceni, o time não se desgasta tanto em campo. “Melhor correr uns ‘metrinhos’ para pegar a bola do que ficar 20 (minutos) ou quanto tempo for atrás da bola. Melhor dar um pique curtinho para pegar a bola. Melhor ficar com ela do que correr atrás dela. Fizemos um pouco disso no jogo contra o Santos, e a cada semana vamos melhorar”, ponderou.

Por fim, promete que a equipe celeste demonstrará um futebol semelhante ao da estreia de Ceni neste domingo (25), contra o CSA, fora de casa. “Temos que ser ofensivos, até porque precisamos ganhar jogos e somar pontos. Não podemos esperar o adversário, nem dentro, nem fora de casa”, salientou.

Com Hoje em Dia




Publicidade
Publicidade

Links patrocinados