Menu

Sete Lagoas > Notícias > Esportes

Cruzeiro quer exigir liberação de Dedé para partida de volta contra o Boca

  • Categoria: Esportes

Além de publicar uma nota de repúdio pela expulsão injusta de Dedé na derrota desta quarta-feira, por 2 a 0, para o Boca Juniors, no jogo de ida das quartas de final da Copa Libertadores, a diretoria do Cruzeiro avisou, no vestiário do estádio La Bombonera, em Buenos Aires, que vai à Conmebol, no Paraguai, exigir a anulação da expulsão do defensor para que ele atue no duelo de volta, no Mineirão, em 4 de outubro.

Dedé recebeu cartão vermelho após árbitro paraguaio Eber Aquino analisar imagem no VAR / Foto: reprodução superesportesDedé recebeu cartão vermelho após árbitro paraguaio Eber Aquino analisar imagem no VAR / Foto: reprodução superesportes

O vice-presidente de futebol Itair Machado se mostrou indignado com a postura do juiz paraguaio Eber Aquino. Ele expulsou Dedé após avaliar as imagens do árbitro de vídeo, o VAR, e entender, de forma equivocada, que o defensor atingiu o goleiro Andrada de forma intencional numa disputa de bola aérea. Tão logo a partida foi encerrada, o mundo do futebol repercutiu o equívoco da arbitragem na Bombonera. Apesar disso, a Confederação Sul-Americana de Futebol (Conmebol) e a CBF não se posicionaram de forma oficial.

Itair revelou que há um caso anterior, ocorrido em 2014, em que a Conmebol anulou um cartão e recolocou um atleta em condição de jogo graças à avaliação de imagens de TV. À época, o VAR ainda não era utilizado em jogos na América do Sul. Na Europa, ligas nacionais e a Uefa também já desconsideraram suspensões baseando-se em esclarecimentos feitos por meio de imagens.

”Sobre o que aconteceu aqui hoje, o Brasil e boa parte do mundo viram o que aconteceu. O Cruzeiro vai tomar medidas cabíveis juridicamente porque a gente acha que flagrante o que aconteceu. Em 2014, teve um jogador que a Conmebol absolveu o cartão vermelho e ele jogou a partida seguinte. Então, o que o Cruzeiro vai pleitear é que a gente não seja prejudicado duas vezes. Porque o Cruzeiro foi prejudicado hoje e punido hoje com o erro do árbitro. Nós não podemos continuar com esse erro, tirando um dos principais jogadores nossos do jogo. Então, se não houve má fé, má intenção, se não houve roubo, que se conserte o erro do juiz. É o que o presidente da Conmebol tem que fazer. Em tempos de prisão, em tempos que próprias pessoas da Conmebol foram presas, isso não pode acontecer. Eles têm que provar se foi roubo ou se foi erro. Se foi erro, eles que consertem o erro, porque em 2014 teve isso e o jogador foi absolvido do vermelho e jogou. E recentemente agora, na França, houve questão dessa também, que, por erro, expulsaram um jogador e ele jogou a partida seguinte. Então, o que o Cruzeiro pede é que não seja prejudicado e punido duas vezes”, desabafou o vice-presidente Itair Machado.

O presidente do Cruzeiro, Wagner Pires de Sá, vai à sede da Conmebol, em Luque, no Paraguai, nesta quinta-feira, para cobrar uma posição da Conmebol acerca da expulsão injusta de Dedé diante do Boca Juniors. O clube fará uma representação para exigir a presença do zagueiro em campo contra os argentinos, no dia 4 de outubro, em Belo Horizonte.

”O nosso presidente vai amanhecer na porta da Conmebol, já contratamos um advogado da cidade, e o nosso advogado vai passar a noite agora, no avião de volta, iniciando a peça. O que nós pedimos é que a gente não seja punido duas vezes. (...) O presidente está indo à Conmebol, vai ficar aqui, vai partir amanhã às 6h, 7 e pouco ele já estará lá na Conmebol, e a gente espera ter êxito, porque não só os jogadores do Boca, mas a torcida toda do Boca, ninguém entendeu o que aconteceu. O que nós queremos é que o presidente da Conmebol, para evitar prisões, que têm acontecido no futebol, no meio do futebol, ele tem que provar que foi honestidade, que foi erro. Ele tem poderes para interferir e mandar anular o cartão do Dedé. Se foi roubo, eles não vão fazer isso. Se foi erro, eles vão fazer. Aí fica a nossa dúvida. Não somos nós que vamos levantar se foi roubo ou se foi erro. Nós temos que falar a linguagem do futebol brasileiro. Foi roubo? Eles não vão voltar atrás, vão manter, vão fazer de tudo para ajudar o Boca. Já ajudaram muitas outras vezes. Agora, se foi erro, eles vão voltar atrás, e o Cruzeiro não vai ser prejudicado duas vezes”.

Itair Machado relatou ainda que, após ser cobrado na saída do estádio La Bombonera, o árbitro paraguaio Eber Aquino sorriu. Essa atitude teria gerado suspeitas na diretoria cruzeirense. “Eu acho que não é bom avaliar (má fé ou erro) porque senão serei punido. O Cruzeiro vai avaliar onde for possível dentro da lei. O problema do futebol também é esse. Acontece um absurdo desse e você não pode nem se expressar. O árbitro saiu dali rindo. Eu não sei de quê ele estava rindo, é mais um motivo grave isso. Os jogadores nossos reclamaram. Para vocês terem ideia, eu estava assistindo ao jogo com a diretoria, e durante o jogo, na minha interpretação, ele parou o Cruzeiro, ele não deu duas vantagens. Eu já estava meio preocupado com a arbitragem dele durante a condução da arbitragem. Quando ele foi ver o VAR, eu falei: ele vai expulsar o Dedé, porque senti que ele não estava bem intencionado. Agora, quem tem que provar são os meios que vamos denunciar. O Cruzeiro vai denunciar e vai querer uma investigação se foi roubo ou erro. O futebol brasileiro, principalmente agora, com essa diretoria nova da CBF, a CBF também tem que entrar pesado nisso aí para defender o filiado”.

Apesar das queixas do Cruzeiro, a CBF não se posicionou depois da partida em suas redes sociais. Da mesma forma, a Conmebol sequer citou a expulsão de Dedé em seus canais oficiais na internet.

As manifestações foram inúmeras nas redes sociais e desde o momento da expulsão só se fala nisso no cenário esportivo.

Convocação à torcida

Durante seu discurso, o vice-presidente ainda fez uma convocação à torcida para o jogo de volta, contra o Boca Juniors, no Mineirão. “Quero deixar recado para a torcida do Cruzeiro. Que nós nos reunimos no vestiário, vamos colocar promoção de ingresso e temos certeza que a diferença de dois gols nós vamos tirar e vamos classificar. (...) E convocar a nossa torcida. O ingresso vai ser mais promocional ainda, para que a gente possa combater isso aí também dentro de campo, eliminando o Boca. Porque, com certeza, se houve má fé, houve a participação do Boca. E nós vamos dar a resposta para eles dentro de campo”.

A seguir, leia a carta de repúdio do Cruzeiro pela expulsão de Dedé:

A diretoria do Cruzeiro Esporte Clube vem a público repudiar de forma veemente a expulsão absurda do zagueiro Dedé, na noite desta quarta-feira, diante do Boca Juniors, pelas quartas de final da Copa Conmebol Libertadores.

O Clube considera que o juiz paraguaio Eber Aquino, por ato deliberado, praticou uma das maiores, mais lesivas e equivocadas decisões já tomadas na história do futebol, uma vez que o árbitro mesmo tendo a oportunidade de consultar o VAR no lance do jogo, conseguiu tomar uma decisão flagrantemente contrária ao que foi registrado pelas imagens.

É imprescindível que a CONMEBOL determine a abertura de investigação formal contra esse flagrante e imponderável atentado contra o futebol brasileiro.

A cúpula celeste informa, também, que está estudando as melhores opções para ingressar à CONMEBOL na busca por amenizar o tamanho prejuízo técnico decorrido da expulsão de Dedé, inclusive buscando por medidas judiciais contra os autores desta covardia.

O Cruzeiro também aproveita para endossar as palavras de diversos veículos de comunicação como Olé, Clarín, TV Globo, ESPN, SporTV, Fox Sports e tantos outros, além agradecer à solidariedade de outros clubes de futebol. De igual forma, esperamos que a CBF assuma imediatamente a sua responsabilidade na defesa dos clubes brasileiros, que há tanto tempo são prejudicados maliciosamente pela arbitragem internacional. Isso precisa acabar!

A vergonha foi tamanha que o termo #VerguenzaConmebol rapidamente se tornou um dos 10 assuntos mais comentados no mundo na rede social Twitter, com diversas mensagens de protestos de torcedores de diversos clubes do Brasil e da América do Sul.

A diretoria do Cruzeiro informa, ainda, que não deixará, sob hipótese alguma, de defender os interesses do Clube e de sua torcida, e que as devidas providências serão tomadas.

 

Da Redação Com Superesportes

Links patrocinados