Menu

Depoimento: Deputada e filhas colocavam veneno na comida de pastor e ofereceram R$ 10 mil para irmão assassiná-lo

Após depoimento de dois dos filhos da deputada Flordelis (PSD), um terceiro contou nessa quinta-feira (20) à Polícia Civil que suspeita do envolvimento da mãe e de três irmãs na morte do pai, Anderson Carlos. Segundo o jovem, que não teve identidade revelada, uma delas ofereceu R$ 10 mil ao irmão Lucas dos Santos para matar o pastor.

Foto: Flordelis Mk/Facebook/ReproduçãoFoto: Flordelis Mk/Facebook/Reprodução

O rapaz ainda revelou que a mãe e as irmãs, apontadas por ele como suspeitas, colocavam remédio na comida do pai e isso seria a causa de seus problemas de saúde. Além disso, segundo ele, Anderson recebia ameaças de morte desde fevereiro.

Em depoimento, o rapaz conta que seu irmão Lucas recebeu a proposta de R$ 10 mil de uma das irmãs para matar o pai. E que, por mais que o irmão não tivesse em casa no momento do assassinato, ele teria comprado a arma usada no crime.

Além disso, o jovem disse que não houve barulho, confusão e nem moto em fuga no momento da morte. Ele afirmou ter visto o irmão Flávio, que confessou ter dado seis tiros no pai, ao lado do corpo ensanguentado, recolhendo uma mochila de couro e o telefone celular do pastor. O aparelho, segundo ele, foi entregue para a mãe Flordelis. Contudo, os policiais ainda não encontraram os celulares e nem a mochila.

Nessa sexta-feira (21), a delegada Barbara Lomba, da DHNSGI (Delegacia de Homicídios de Niterói e São Gonçalo), vai dar uma entrevista coletiva para dar mais detalhes sobre o caso.

Prisão decretada

A Justiça do Rio de Janeiro expediu nessa quinta-feira (20) mandados de prisão temporária para dois filhos da deputada federal Flordelis (PSD-RJ). A informação consta da página do Conselho Nacional de Justiça (CNJ).

Flávio dos Santos Rodrigues e Lucas Cezar dos Santos Souza são suspeitos do homicídio do pastor Anderson do Carmo Souza, marido da parlamentar. O crime foi no último dia 16, em São Gonçalo (RJ), na casa da deputada.

O novo advogado constituído pela família da deputada, Marcelo Ramalho, esteve hoje na Delegacia de Homicídios de Niterói e São Gonçalo, mas afirmou que ainda não havia visto o inquérito. Ele não quis dar detalhes sobre os fatos.

Com Agência Brasil




Publicidade
Publicidade

Links patrocinados