Menu

Em megaoperação, Polícia Civil prende suspeitos de tráfico de drogas em Sete Lagoas

Na manhã desta quarta-feira (09), a Polícia Civil deflagrou a operação “Semper Nobis” com o intuito de capturar suspeitos do crime de tráfico de drogas em Sete Lagoas e região. Durante a ação, realizada em maior parte no bairro Cidade de Deus, doze suspeitos foram presos.

Foto: Vinícius AugustoFoto: Vinícius Augusto

Em coletiva de imprensa, realizada no final da manhã de hoje, a equipe policial que participou da operação deu mais detalhes sobre o resultado da ação.

De acordo com o delegado Daniel Araújo, do Departamento Estadual de Combate ao Narcotráfico (Denarc), foram cumpridos 20 mandados de prisão temporária e 32 de busca e apreensão. “Desses 20 de prisão temporária, até agora, a gente já conseguiu capturar 12 e os outros 8 estão em situação de foragidos”, disse. Equipes continuam em diligências para conseguir capturar os indivíduos que ainda não foram presos.

Um dos presos é Ítalo Aparecido Barbosa da Silva, que, segundo investigações da Polícia Civil, comandava o tráfico de drogas e também de armas de dentro da Penitenciária José Maria Alkimin, em Ribeirão das Neves. “Esse Ítalo tinha um papel de liderança no tráfico de drogas de dentro do presídio e, de lá, ele determinava que soldados dele fossem à capital buscar a droga e trazer para distribuir em Sete Lagoas”, esclarece Araújo. A atuação da quadrilha também chegava às cidades de Capim Branco e Funilândia.

Segundo informações, Ítalo encontrava-se em regime semiaberto, ou seja, tinha permissão para estar na rua durante o dia e à noite voltava para dentro da cela. Nos momentos de liberdade, ele efetuava o tráfico de drogas. Sua prisão foi feita em flagrante, após a saída do presídio. Com isso, ele foi detido e retornou ao regime fechado.

Ainda segundo o delegado Araújo, hoje serão entregues à Justiça o procedimento da investigação e também os indivíduos capturados, para que respondam a processos nas vias da lei. Ele acredita que a operação está em fase de encerramento.

Operação policial

A operação foi batizada como “Semper Nobis”, termo em latim que significa “Sempre Nós”, nome que surgiu a partir das escutas telefônicas, autorizadas pela Justiça, em que os bandidos zombam da polícia (“É nóis. Nunca vai ser eles não”, trecho de áudio interceptado durante a fase de investigações).

De acordo com o Dr. Félix Magno, delegado regional da Polícia Civil de Sete Lagoas, participaram da operação mais de 150 policiais e mais de 40 viaturas. Em decorrência da ação, uma arma de fogo e certa quantidade de entorpecentes – maconha e cocaína – foi apreendida.

O delegado também comentou sobre a importância da operação no que diz respeito a outros crimes. Segundo ele, ocorrências como assalto, por exemplo, estão ligadas à manutenção do tráfico de drogas. “Atacando o tráfico de drogas é possível atacar outros delitos”, finalizou.

Da Redação




Publicidade
Publicidade

Links patrocinados