Menu

Sete Lagoas > Notícias > Região

Estado inaugura nove leitos de CTI no Hospital São José

  • Categoria: Minas
A Secretaria de Estado de Saúde (SES) inaugurou, nessa quarta-feira(1º), em Belo Horizonte, nove novos leitos do CTI adulto do Hospital Universitário São José. A obra está inserida na primeira parte do projeto de ampliação e modernização do CTI do hospital, que ainda prevê a reforma e modernização dos outros nove leitos já existentes na unidade hospitalar. A SES investiu, por meio do Programa de Fortalecimento e Melhoria da Qualidade dos Hospitais do SUS/MG (Pro-Hosp), R$ 420 mil neste empreendimento.

Durante a solenidade também foi assinado um termo de doação de bens móveis entre o São José e o Governo de Minas, por meio da Companhia Energética de Minas Gerais (Cemig), que entregou três autoclaves para a instituição. A doação faz parte do programa de uso racional de energia elétrica da Cemig.

De acordo com o secretário de Estado de Saúde, Marcus Pestana, o Estado já investiu quase R$ 12 milhões no Hospital São José, desde 2003, por meio do Pro-Hosp. “Com esta duplicação de leitos de CTI, são abertas novas possibilidades na alta complexidade, o que nos ajuda a enfrentar a demanda por UTI na Região Metropolitana, que é elástica. A Fundação Lucas Machado (Feluma), mantenedora, e o hospital estão dando a volta por cima, pois já passaram por várias dificuldades e hoje estamos comemorando a construção de soluções”, afirmou durante o evento.

Hoje, há uma necessidade de 595 leitos de UTI adulto na macrorregião Centro, região onde Belo Horizonte e outros 101 municípios estão inseridos, sendo que 453 leitos estão disponíveis. Assim, o déficit é de 142 leitos. Após o credenciamento dos nove novos leitos no Hospital São José, o déficit irá cair para 133 leitos. Já no Estado há uma necessidade de 1.759 leitos e estão disponíveis 1.186, sendo o défict de 573 leitos. Após o credenciamento dos nove novos leitos no Hospital São José, o déficit cairá para 564 leitos.

Investimento, acompanhamento e melhorias

De acordo com o secretário municipal de Saúde de Belo Horizonte, Marcelo Teixeira, “a obra representa uma grande conquista para a cidade, pois novos leitos de CTI são essenciais para diminuir o gargalo existente”. Segundo o diretor geral do Hospital, Leonardo Tadeu Brescia, “é com muito orgulho e prazer que temos conseguido executar as obras no hospital. O Pro-Hosp, além de fornecer recursos, cobra e acompanha a aplicação do dinheiro e força o hospital a crescer. O programa foi um oxigênio para a gente”, ressaltou.

O presidente da Fundação Educacional Lucas Machado (Feluma), mantenedora do Hospital São José e da Faculdade de Ciências Médicas, Wagner Ferreira, disse que “sem o apoio da SES seria impossível realizar uma obra como essa e o Pro-Hosp foi fundamental para isso". Já o diretor da Faculdade de Ciências Médicas, Ludércio Rocha de Oliveira, comentou que o maior beneficiado com a obra é a comunidade, que receberá melhor qualidade no atendimento.

O deputado federal mineiro Rafael Guerra, que já participou da gestão do hospital e é ex-secretário estadual de Saúde, disse que a entidade nasceu integralmente voltada para o SUS e tem compromisso público. “Os recursos aqui são aplicados corretamente e com ética”, completou.

Pro-Hosp

O Pro-Hosp tem o objetivo de consolidar a oferta da atenção hospitalar nos pólos macro e microrregionais de Minas Gerais, contribuindo para o desenvolvimento de um parque hospitalar público capaz de operar com eficiência, prestar serviços de qualidade e estar inserido nas redes de atenção integral à saúde no Estado.

Esse programa alcança todo o Estado, por meio da aplicação de recursos nos hospitais sediados nas 75 microrregiões e nas 13 macrorregiões sanitárias, conforme divisão estabelecida pelo Plano Diretor de Regionalização-PDR/MG, aumentando a oferta e a qualidade dos serviços hospitalares prestados. Entre os 131 hospitais contemplados em 109 municípios, 36 estão sediados nos 18 municípios-pólo das macrorregiões de saúde, e os restantes, em municípios das 75 microrregiões, totalizando 853 municípios beneficiados.

De julho de 2003 a dezembro de 2008, o Governo de Minas já aplicou R$ 360 milhões e só em 2008 foram investidos R$ 108 milhões no programa. Até 2010, serão disponibilizados cerca de R$ 620 milhões, que serão investidos em compra de equipamentos e aparelhos, reforma e ampliação das instalações e capacitação profissional, direcionados à melhoria da qualidade, segurança e resolutividade da assistência, com investimentos na manutenção e ampliação da capacidade instalada e aquisição de insumos necessários à operacionalização da assistência e na profissionalização da gestão dos hospitais.
 
 
Da Agência Minas
 
 
 
 

Links patrocinados