Menu

Sete Lagoas > Notícias > Minas

Em Minas Gerais, Polícia Rodoviária Federal normaliza atividades, após mais de um mês

  • Categoria: Minas

A Polícia Rodoviária Federal (PRF) anuniciou a normalização dos serviços suspensos em 5 de julho por falta de verbas. Em Minas Gerais, o contingenciamento afetou algumas atividades, como o atendimento ao público. A PRF do estado informou que as ações de patrulhamento e fiscalização já voltaram ao normal nesta quarta-feira. As demais medidas ainda estão sendo tratadas.

A direção geral da PRF informou que foram descontigenciados R$ 30 milhões do orçamento da LOA/2017, consignado à corporação. “Dessa forma, o limite orçamentário atual passa de R$ 257 milhões para R$ 287 milhões, permanecendo ainda bloqueado o montante de R$ 133 milhões”, diz comunicado do órgão.

PRF volta a normalidade dos serviços e fiscalização em Minas Gerais/Foto: DivulgaçãoPRF volta a normalidade dos serviços e fiscalização em Minas Gerais/Foto: Divulgação

Com o repasse, a PRF orienta que deverão ser retomadas as rondas policiais, escoltas e demais serviços de operações policiais, inteligência e corregedoria. Também será restabelecida a normalidade do expediente administrativo pelas unidades que tenham restringido o funcionamento por conta do contingenciamento.

Em Minas Gerais, após uma reunião em 11 de julho, foi definido que todo os postos continuariam abertos, mas com atendimento de 9h às 15h, sem intervalo para o almoço. Quanto ao deslocamento de viaturas, para evitar gastos, a determinação foi de que os veículos somente deixariam os postos para atender acidentes com vítimas e ocorrências com interdição das pistas. As fiscalizações só ocorriam nas áreas das bases e as cargas excedentes ficaram sem escolta.

Ainda segundo a PRF, “as tratativas visando o descontingenciamento dos demais valores bloqueados têm sido objeto de gestão, com vistas a se evitar novas restrições às atividades deste Órgão policial”. A corporação anuncia que a questão do orçamento será avaliada novamente. “Por fim, os valores ora disponibilizados terão o monitoramento de sua execução a cargo da comissão de acompanhamento, bem como pelas comissões regionais e demais áreas afetas do Departamento e Superintendências, para que, ao final dos 30 dias seja feita uma nova avaliação do cenário orçamentário e demais medidas porventura necessárias”, finaliza.

Da Redação com EM