;
Menu

Coluna / Cultura Pop / Santa Clarita Diet

Você, caro telespectador, já deve ter percebido como a maneira de assistir filmes e a quantidade de séries mudou ao longo dos tempos. Desse fato, surgiu o “sommelier” de série, um apelido carinhoso que resolvi dar para aquelas pessoas que gostam de ver, falar, comentar e, claro, “gourmetizar”, o assunto. Então, você que faz parte do bloco carnavalesco do Netflix e afins, vem comigo nesta aventura!

Vamos começar por série, lembrando que todas as dicas e opiniões desta e futuras colunas, são diretamente tiradas do meu duodeno!

Cenas da série Santa Clarita Diet - Foto: DivulgaçãoCenas da série Santa Clarita Diet - Foto: Divulgação

A Netflix adora uma propaganda engraçada e chamativa pra anunciar uma série nova e com “Santa Clarita Diet” não foi diferente. Quando vi o clipe com Fábio Jr. cantando todo ensanguentado, quantidades exageradas de sangue para todo lado, corpos em pedaços e Drew Barrymore devorando tudo, pensei: deve ser algum tipo de zumbi que aderiu a moda vegana e só alimenta com restrição de lactose e glúten.

A série conta a história de um casal de corretores, cujo destino começa a mudar quando Sheila (Drew), misteriosamente, tem uma crise de vômito e, depois de botar para fora seu próprio coração, passa a ser um zumbi e a comer humanos.

Bem, a série é uma verdadeira “sessão da tarde” que mirou no zumbi e acertou num canibalismo sem sentido! Os episódios são curtinhos, menos de 30 minutos, e servem para aqueles dias monótonos quando tudo que você quer é algo simples e engraçadinho, mas sem muito compromisso. Ela satisfaz seu desejo de passar o tempo, mas não mais do que isso.

 

Graduada em Publicidade e Propaganda, pós-graduada em Rádio e TV. Ilustradora, designer, metida a sinuqueira e telespectadora assídua de séries e filmes em alta velocidade.




Adicionar comentário


Código de segurança
Atualizar