Menu

Coluna / Cultura Pop / Séries para que você não se sinta isolado do mundo em uma conversa

Antigamente, quando o único aparelho de entretenimento visual era a famigerada TV de tubo, as pessoas não tinham muitas novidades quando o assunto era indicação do que assistir. No máximo, era um comentário sobre qual casa Os Cavaleiros dos Zodíacos iriam enfrentar no próximo episódio na Manchete ou se apareceu ou não um mamilo sem querer na banheira no Gugu.

Foto ilustrativa: http://www.cineset.com.br/Foto ilustrativa: http://www.cineset.com.br/

Hoje, depois do nascimento dos seriados e suas variadas opções, o que não faltam, são pessoas indicando uma série de acordo com o gosto. Umas são melhores que as outras e que você precisa assistir, custe o que custar. Maaasss... Sempre tem um “mas”, opinião é algo tão pessoal e com essa febre de sugestões, surgiu também a obrigação em assistir só pra ficar por dentro de um assunto ou não terminar um namoro. Afinal, gosto é igual duodeno e cada um tem o seu, seguido do direito de ver o que quiser, como bem entender.

Pensando nisso, reuni algumas séries aleatórias por recomendação e fiz um compilado de motivos pra assistir ou não ou quem sabe simplesmente, comentar na rodinha sobre, mesmo não tendo visto nem ao menos a abertura. Vamos lá:

Outlander: uma série de época, onde a personagem principal que vive em 1948, viaja no tempo e fica presa numa época 200 anos atrás. Praticamente, uma Caverna do Dragão com muito romance, nudes e guerras britânicas e escocesas. Se ainda não te apeteceu em assistir, procure o nome de um dos atores principais no Google (Sam Heughane) e lembre que eu mencionei a palavra “nudes”.

Black Mirror: antes de tudo, os episódios não são vinculados uns aos outros, não é uma história de começo, meio e fim, portanto, caso queira assistir somente um aleatório com o intuito de fazer média entre amigos, não vai ter problema. A série é muito louca e fala sobre ficção científica, que explora um futuro próximo onde humanos e a tecnologia entram em um
perigoso conflito (falei que era louco!). Faz você pensar muito depois que acaba um episódio, divagando sobre esse futuro incerto, se vai acontecer conosco ou não...E por aí vai.

The Crown: Um seriado sobre a história da rainha da Inglaterra. Como ela se tornou o que é hoje, seus costumes, culturas e intimidades. Se não gosta desse tipo de série e quer causar
uma boa impressão, a dica é refletir sobre como este país é lindo e que gostaria de conhecer as tradições britânicas, porque se sentiu inspirado pela série. Quem sabe dá certo.

Stranger Things: Eu já mencionei sobre ela aqui, mas o comentário é devido ao número de pessoas que indicam. Se você até hoje não assistiu, porque não gosta muito de terror, suspense, crianças, anos 80 e não tem nudes, não se preocupe! Diga que não conseguiu terminar aquela outra ainda, mas que está por dentro a respeito da quantidade de prêmios que a série levou, além da excelente fotografia e elenco.

Na dúvida, minha sugestão é sempre focar no seriado Friends. Que eu costumo comparar compudim. Todo mundo gosta de pudim e não tem como errar na prosa.

Graduada em Publicidade e Propaganda, pós-graduada em Rádio e TV. Ilustradora, designer, metida a sinuqueira e telespectadora assídua de séries e filmes em alta velocidade





Adicionar comentário


Código de segurança
Atualizar