Menu

Sete Lagoas > Notícias > Cidades

E.E. Maurilo de Jesus Peixoto no Museu da Língua Portuguesa e a Pinacoteca em SP

  • Categoria: Cidades
No último fim de semana (05 a 07/12), os alunos da E.E. Maurilo de Jesus Peixoto foram ao Museu da Língua Portuguesa e a Pinacoteca em São Paulo. O projeto foi coordenado pela professora de Língua Portuguesa, Gabrielle Guimarães Souza, e apoiado pela direção e orientação da escola.
 
A escola visitou a exposição de Machado de Assis, em homenagem ao seu centenário, além das diversas atrações aos visitantes do museu. Segundo a professora Gabrielle, no andar de cima, eles viram um telão com 106 metros de comprimento, que relembra estarmos numa estação de trem, a lindíssima Estação da Luz, reformada em 1901. Neste andar também os alunos puderam conhecer a linha do tempo com a história da Língua Portuguesa de 6.000 anos atrás até os dias de hoje. Além disso, o mapa dos falares ilustra a imensa diversidade da nossa língua dentro do próprio país.
 
O museu conta também com vários jogos interativos que ensinam os principais idiomas que influenciaram a criação de muitas palavras em nossa língua, e seus significados e a Praça da Língua. Uma apresentação na voz de Fernanda Montenegro reforça a importância e o valor da língua que falamos. Após essa apresentação, o telão de 9 metros sobe pelas paredes e dá espaço para o anfi-teatro que mostra lindas poesias... faladas, cantadas, declamadas e mostradas no teto como num planetário! Gabrielle disse que tudo foi maravilhoso! "É como observar o espaço sideral das palavras! Lindíssimo", afirma.
 
Já na Pinacoteca do Estado de São Paulo, um dos mais importantes museus de artes plásticas do Brasil, também entrou na programaçao da excursão da escola. A exuberante construção que se completa com o Parque da Luz, abriga mais de 6.000 obras dos séculos XIX em diante, a maioria de nossos artistas brasileiros. Gabrielle disse que elas puderam encontrar com obras como do consagradíssimo Cândido Portinari, Anita Malfati, Tarsila do Amaral entre outros artistas. Todos os alunos ficaram encantados com a exuberância em todas as salas. "Para enriquecer nossa visita, nossos alunos ainda se encontraram com o famoso jogador Raí, da Seleção Brasileira, que passeava por lá com sua família. Foi uma experiência inesquecível", conclui a professora.
 
Da redação
Lorena castro

Voluntários contra a dengue discursam na Câmara

  • Categoria: Cidades
A reunião ordinária da Câmara ontem (09), contou com a presença de representantes da Comissão da Frente Voluntária Contra a Dengue, que informaram aos vereadores e populares presentes a real situação da infestação do mosquito aedes aegypti, transmissor da dengue, em Sete Lagoas. Segundo o jornalista Mário Martins, que lidera o movimento, o Município corre sério risco de sofrer uma epidemia da doença: Segundo ele, somos a terceira cidade do interior do Estado com maior índice de infestação e casos confirmados da dengue.

Mário informou que a Comissão é composta por nove voluntários, dentre eles estão representantes da Vigilância Sanitária e da Secretaria Municipal de Saúde, além da sociedade civil organizada. O intuito é conscientizar a população sobre a importância do trabalho comunitário para efetivo controle da dengue no Município. “Para tanto estamos confeccionando faixas que estão sendo afixadas nos bairros críticos com maior índice de infestação. Com o apoio de empresas privadas, fizemos mais de dez mil panfletos, que estão sendo distribuídos por toda a cidade”, contou.

O líder do movimento também criticou os moradores que se negam a abrir as portas de suas casas para que os agentes de combate à dengue possam fazer a triagem. Da última vez que houve uma epidemia da dengue em Sete Lagoas, foram registrados 940 casos da doença clássica e 477 casos clínicos.
 
Índice de infestação é de 1,8% - Presente na sessão plenária, Cassiana Eudócia, coordenadora do Setor de Educação em Saúde da Secretaria Municipal de Saúde de Sete Lagoas informou que o atual índice de infestação da dengue no Município é de 1,8%, sendo que o preconizado pelo Ministério da Saúde é de menos de 1%: “o número de agente hoje está reduzido devido à intensa rotatividade, mas mesmo assim afirmo que temos atuado visitando casa por casa com intensificação dos trabalhos nos bairros críticos”, garantiu. Cassiana reforçou a importância de o morador abrir a porta da sua residência para os agentes: “90% dos focos do mosquito estão dentro das casas, por isso é fundamental que os agentes entrem dentro delas quantas vezes forem necessárias”.

 
Fonte: Secretaria Especial de Comunicação da Câmara Municipal

 

Links patrocinados