Menu

Felipe Campolina

Coluna / Economia / Dólar em uma tendência de alta

Olá pessoal, tudo certo com vocês?

Nos últimos meses, muita gente vem perguntando minha opinião sobre a tendência do dólar. Desde pessoas que vão viajar num curto/médio prazo e até empresas que possuem dívidas atreladas ao câmbio. Pois bem, observando os fundamentos para um prazo maior, vejo o dólar em uma tendência de alta.

O próprio quadro mundial sugere quedas dos preços de commodities e fortalecimento da moeda americana, por conta do diferencial de crescimento dos EUA em relação ao resto do mundo, enquanto emergentes perdem fôlego, os EUA seguem em plena recuperação econômica.

Isso significa enfraquecimento do Real. Internamente, os ruídos da Operação Lava-Jato e o risco de racionamento reforçam essa ideia.

Enquanto as perspectivas para o crescimento global tem se reduzido, com Europa ainda patinando, China desacelerando, só EUA vem apresentando melhor em relação a expectativa de crescimento econômico, beneficiado com recuo do preço do petróleo, maior renda disponível para população, ajudando assim no crescimento econômico por lá.

Por aqui, o mercado já começa a precificar um aumento na projeção da taxa de juros, após as medidas anunciadas pela equipe econômica, devido ao impacto na inflação. Esse fator deve influenciar a uma alta do dólar que chegou a atingir a máxima nos últimos 12 meses de R$ 2,7387 no último dia 16 de dezembro de 2014.

Possível alta do dólar / Foto Ilustrativa: circuitomt.com.br Possível alta do dólar / Foto Ilustrativa: circuitomt.com.br

Todos esses fatores citados acima,contribuem para uma alta da moeda americana, porém o governo vem atuando pesado para tentar conter essa alta e já conseguiu surtir algum efeito no curto prazo.

Então minha visão final é que a moeda pode continuar caindo no curto prazo, podendo chegar próximo aos R$2,50, porém se o governo não tiver atributos para continuar contendo a alta do dólar, a moeda tem tudo para continuar subindo, se pensarmos num prazo maior, pois os fundamentos indicam essa tendência.

Ou seja, mais uma vez estamos dependendo diretamente do governo e da atual política econômica do nosso país. Se essa política não for eficaz, podemos esperar o dólar nas alturas daqui pra frente.



Felipe Campolina é Sócio/Diretor da Vanguard Investimentos, afiliada XP Investimentos. Assessor de Investimentos e especialista em mercado financeiro. Certificado pela ANBID, ANCORD e PQO Bovespa. Mestrando em Administração de Empresas.