Menu

Aparelho que usa internet para reproduzir sinal de TV chamado 'Gatonet' preocupa Polícia Federal

Os aparelhos que pirateiam o sinal de TV fechada, conhecidos como TV Box , estão na mira da Polícia Federal . A modalidade de " gatonet " que antes se restringia às localidades menos favorecidas das cidades, agora estão presentes até mesmo em bairros nobres.

Foto: Reprodução/Lucas BragaFoto: Reprodução/Lucas Braga

O aparelho contrabandeado da China oferece acesso a sinais de filmes e de canais de TV por assinatura. Tanto a exibição de conteúdo sem pagamento de direitos autorais quanto a venda desses aparelhos sem central de distribuição é ilegal, fazendo com que, apenas no ano passado, a mais de 1 milhão destes fossem apreendidos, totalizando R$ 1 bilhão.

Números do "gatonet"

Em 2021:

- Operações conjuntas: 9

- Aparelhos apreendidos: 120,2 mil

- Última operação integrada: em 31 de março

- Apreensão nesta operação: 13.200 aparelhos

- Valor estimado deste contrabando: R$ 9,9 milhões

Em 2020:

- Operações conjuntas: 23

- Aparelhos apreendidos: mais de 1 milhão

- Valor estimado do contrabando: cerca de R$ 1 bilhão

"Tudo é crime. Então, as pessoas devem desconfiar de empresas ou pessoas que oferecem acesso ilimitado a 700 canais de filmes e TV, cobrando quantias irrisórias, que muitas vezes chegam a 10% do valor cobrado pelas operadoras de TV a cabo. Por isso, quando alguém recebe uma oferta como essa, deve comunicar o caso a uma delegacia", disse ao G1 o delegado Fabrício Oliveira, da Coordenadoria de Recursos Especiais (Core), da Polícia Civil.

Na mira da polícia

O serviço custa em média R$ 30 reais e é oferecido primordialmente por milicianos. Os vendedores afirmam ser um "serviço paralelo", que tem conectividade com o celular, e que, segundos eles, "não é gato". Para poder contar com o funcionamento pleno, indica-se que tenha uma internet Wi-Fi de 20 megas de velocidade.

O fato de ser provido pela internet dificulta o trabalho da polícia, como afirma o delegado Fabrício Oliveira.

Da redação com iformações de iG





Publicidade

Links patrocinados