Menu

Jogos do Campeonato Mineiro podem ser retomados no fim de junho / Coluna / Álvaro Vilaça / Tempo Esportivo

Acabou o mistério! Minas Gerais já tem uma previsão sobre o retorno do futebol profissional no estado. O torcedor mineiro terá que esperar um pouco mais para ver o clube do coração em campo. A Federação Mineira de Futebol confirmou que os jogos do Campeonato Mineiro não serão retomados no mês de maio. O presidente da FMF, Adriano Aro, se reuniu com o governador de Minas Gerais, Romeu Zema, para projetar o retorno das atividades. De acordo com ele, o pico da pandemia do novo coronavírus no estado deve acontecer no início de junho. Desta forma, as partidas podem voltar a acontecer somente no fim do próximo mês.

Mesmo com a paralisação do futebol no estado, a FMF se prepara para quando for possível o retorno das atividades. Adriano Aro afirmou que a federação está trabalhando ao lado do governo em um protocolo de segurança para todos que trabalham com o futebol.

Adriano Aro projeta volta do Estadual em junho, com portões fechados — Foto: Marcos Vieira/EM/DAPressAdriano Aro projeta volta do Estadual em junho, com portões fechados — Foto: Marcos Vieira/EM/DAPress

Esse protocolo de segurança será apresentado aos médicos dos clubes do estado. A intenção da FMF é de que todos os jogadores passem por testes antes da retomada das atividades. Depois, os atletas também terão que passar por novos testes a cada rodada.

Aro lembrou que, quando isso for possível, a ideia é ter um protocolo onde haverá testes de todos os jogadores antes da retomada do campeonato, depois fazer testes ao longo das rodadas. O mecanismo que foi, inclusive, preparado pela CBF, e que a Federação já replicou para o governo do estado. Na última reunião ficou decidido que o próximo passo é apresentar o protocolo aos departamentos médicos dos clubes, para que os clubes também possam avaliar se ele é viável ou não.

Sobre a parte esportiva da competição, o América, líder isolado do Campeonato Mineiro, com 21 pontos, é o único time já classificado para a próxima fase do Estadual. Tombense, 20, Atlético, 18, e caldense, 17, completam o G4 do estadual. O Cruzeiro é o quinto colocado, com 14. Em meio à pandemia, alguns clubes do interior não conseguiram suportar as dificuldades financeiras e encerraram contratos de atletas antecipadamente, casos de Villa Nova, Patrocinense, URT e Caldense. Fica, então, a dúvida: Se essas equipes terão condições de disputar a sequência do campeonato, quando os jogos forem retomados. No caso específico da Caldense, uma eventual desistência por questões financeiras poderá beneficiar o Cruzeiro, que vem logo atrás na tabela de classificação. Aguardemos!

 

Campeonato Mineiro segue com muitas dúvidas

Embora já haja uma definição de que o Campeonato Mineiro dos Módulos I e II não serão retomadas no mês de maio, uma coisa já ficou ajustada para todos os participantes: A Federação Mineira de Futebol garante que o Campeonato Mineiro será encerrado sem o complemento dos jogos. Não tivesse sido paralisada, por causa da pandemia do novo coronavírus, a competição do Módulo I, que ainda não tem data de reinício prevista, já teria definido o seu campeão. Mas ainda há um caminho a ser percorrido para que isso aconteça.

E a primeira parte deste caminho é muito importante, pois ainda faltam duas rodadas da fase classificatória para serem disputadas. E elas terão quatro clubes brigando pelo primeiro lugar, sete disputando as três vagas restantes nas semifinais, pois o líder América já está classificado, e outras quatro equipes tentando escapar do rebaixamento, sendo que os dois últimos colocados vão para o Módulo II.

Uma questão que preocupa é o fato de algumas equipes do interior terem desmontado suas equipes por causa da paralisação da competição. Com o orçamento apertado, optaram por liberar os atletas antes mesmo do fim do contrato, que geralmente, quando feito apenas para o estadual, dura até maio.

Neste caso estão dois clubes que terão papel importante na definição dos semifinalistas e do primeiro colocado. A URT, que enfrenta o Cruzeiro, em Belo Horizonte, na 10ª rodada, e recebe o América, em Patos de Minas, na 11ª; e o Patrocinense, que encara o Atlético, no Independência, no encerramento da primeira fase, já promoveram esse desmanche.única definição que o Campeonato Mineiro já tem é a presença do América nas semifinais. E o Coelho, segundo os cálculos do site Probabilidades no Futebol, mantido pelo Departamento de Matemática da Universidade Federal de Minas Gerais (UFMG) é também favorito a manter a primeira colocação, numa briga com Tombense, Atlético e Caldense.

Inclusive, quando voltar, o Estadual terá um jogo importante para esta briga, que é o clássico entre América e Atlético, pela décima rodada.

A presença nas semifinais terá disputas até a última rodada, sendo grande a possibilidade de Caldense e Cruzeiro se enfrentarem em Poços de Caldas brigando por uma vaga, na rodada final.

A luta contra a degola envolve quatro clubes, sendo que o Tupynambas, de Juiz de Fora, está praticamente rebaixado, pois tem 94,8% de chances de queda, segundo os cálculos da UFMG.

A outra vaga no Módulo II deve ficar entre Coimbra e Villa Nova, que inclusive ainda fazem um confronto direto, na última rodada, em Nova Lima.

As duas últimas rodadas do Estadual serão disputadas, garante Leonardo Barbosa, diretor de competições da FMF: “Quando o futebol voltar, com uma quarta e um domingo resolvo a primeira fase, pois faltam apenas duas datas”.

Mas a parte final da competição pode sofrer mudança, segundo ele. “Com os semifinalistas definidos e os times da Taça Inconfidência conhecidos, vamos assentar com as equipes e resolver. A Taça Inconfidência, caso os quatro classificados queiram, pode ser adiada para o ano que vem, por exemplo. Agora, semifinal e final, nós vamos fazer, mas se os clubes acharem melhor em jogo único, por exemplo, pode ser assim, mas desde que os quatro aceitem”, afirma o diretor técnico da FMF.

 

Técnico do Cruzeiro avalia adversários da Série B

Ainda sem poder trabalhar com seus comandados, Enderson Moreira atua para avaliar situações no mercado, mas também já analisa o cenário que aguarda o Cruzeiro na Série B, torneio no qual ele já foi campeão duas vezes (2012 e 2017) e que voltará a disputar após três anos com trabalhos na elite.

Questionado sobre quais devem ser os principais concorrentes do Cruzeiro por uma vaga na elite nacional, o treinador fez questão de ressaltar que é difícil apontar essas equipes em função de um equilíbrio que normalmente se tem na Série B. No entanto, Enderson citou o América (onde foi campeão do torneio em 2017) e também os rivais Ponte Preta e Guarani, apesar do cenário de incerteza que envolve o futebol neste momento.

Enderson Moreira também fez questão de destacar a força de equipes do Nordeste e de Santa Catarina, citando Avaí e CSA como times que chegarão bem para a Série B, em função do investimento. Vale lembrar que a dupla, assim como o Cruzeiro, foi rebaixada no ano passado.

Com o cenário de indefinição de datas, a tendência é de que o Campeonato Brasileiro das 04 divisões só tenha início na segunda quinzena de julho ou no início de agosto. A princípio as fórmulas de disputas originais estão mantidas, porém, quanto mais tempo demorar para a retomada das competições, maiores serão as chances de uma alteração no formato dos campeonatos, sobretudo em função de uma possível falta de datas para a realização de todos os jogos que estão previstos.

Álvaro Vilaça é formado em Comunicação Social e Marketing, apresentador de TV, ex-narrador e ex-repórter esportivo da Rádio Inconfidência de Belo Horizonte, Diretor de Programação e Coordenador de Esportes da Rádio Eldorado e do Jornal Hoje Cidade. Também é o responsável pela coluna de Esportes do Jornal Notícia e é professor de Negociação, Compras e Marketing das Faculdades Promove de Sete Lagoas. Pós-Graduado em Administração e Marketing.




Publicidade
Publicidade

Links patrocinados