Menu

Futebol mineiro não vive boa fase / Coluna / Álvaro Vilaça / Tempo Esportivo

O futebol mineiro não vive uma boa fase, sobretudo quando o assunto é dinheiro.

Foto: ReproduçãoFoto: Reprodução

No caso do Atlético, o clube está no top 5 de maiores dívidas do Brasil, e mesmo em meio à pandemia do novo coronavírus, trouxe reforços para o restante da temporada. O presidente atleticano explicou o motivo.

Recentemente, o mandatário alvinegro revelou que os reforços do Atlético são contratados através do apoio de patrocinadores, e que o dinheiro é destinado exclusivamente para este fim.

"Nossos parceiros não estão dispostos a colocar dinheiro para ficar pagando dívida. Se for para pagar dívida, ele não vai pôr. Esse dinheiro é feito para aplicar em jogadores que possam ter performance técnica e, depois, trazer lucro para o clube. Não podemos parar de fazer isso, sob pena de ficarmos em situação complicada, não só em relação à participação dos campeonatos como também na questão de poder fazer dinheiro."

O cartola ainda afirmou que a venda de jogadores é fundamental para o aumento da receita, e isso justifica os reforços.

"O clube tem duas grandes receitas: televisão e venda de jogadores. Na minha gestão, o Atlético fez os dois anos de maiores vendas da história do clube. Em 2018 e 2019, o Atlético vendeu mais de R$ 100 milhões em jogadores. Temos um saldo em relação ao que gastamos com jogadores e o que nós ganhamos em negociações de mais de R$ 100 milhões, de lucro. Um dos negócios do clube é trazer jogadores jovens para que esse jogador nos dê retorno técnico e, depois, dar dinheiro para o clube."

O presidente citou o lateral direito Guga, no clube desde o ano passado, e o volante Alan Franco, vindo do futebol equatoriano. Outro nome lembrado foi o de Léo Sena, volante que estava no Goiás.

“Vamos imaginar o Guga, que nos custou R$ 7,5 milhões. Se amanhã, vier uma proposta de cinco ou seis milhões de euros, quanto é que o Atlético ganhou nessa história? Se não fizermos isso, não vamos conseguir ter a segunda perna - uma é de televisão, que boa parte já foi adiantada - e a outra parte é transferência de jogadores. Você não pode deixar a bicicleta cair. Quando você traz um jogador como o Allan Franco, de 21 anos de idade, quem acompanhou esse camarada ano passado na Sul-Americana, vai ver que o time do Del Valle girava em torno dele”.

Diante deste cenário, só resta ao torcedor aguardar as cenas dos próximos capítulos, porque o clube precisa se reforçar, tem investidores para isso, mas também não pode se endividar ainda mais. Num cenário de pandemia, todas as questões de problemas econômicos ficaram ainda mais dramáticas para os clubes do futebol brasileiro!


Mbappé é o jogador mais valioso do mundo; Firmino é o melhor brasileiro

O Observatório de Futebol CIES, especialista em rankings de aspectos financeiros do esporte, divulgou nesta semana a nova edição de um estudo que aponta os 100 jogadores mais valiosos das cinco grandes ligas da Europa. O líder do ranking é o atacante Mbappé, do PSG, que tem valor de transferência avaliado em € 259,2 milhões (R$ 1,4 bilhão). O brasileiro mais bem posicionado é o atacante Roberto Firmino, do Liverpool, com valor de € 118,5 milhões (R$ 665,5 milhões).

Além de Mbappé - o único com valor acima de € 200 milhões -, aparecem no top 5 Sterling, do Manchester City (€ 194,7 milhões/R$ 1,09 bilhão); Sancho, do Borussia Dortmund (€ 179,1 milhões/R$ 1 bilhão); Alexander-Arnold, do Liverpool (€ 171,1 milhões/R$ 961 milhões); e Rashford, do Manchester United (€ 152,3 milhões/R$ 855,3 milhões). Completam os 10 primeiros Salah, Mané (Liverpool), Griezmann (Barcelona), Davies (Bayern) e Kane (Tottenham).
O que chama muita atenção na lista, no entanto, é a ausência dos craques Messi e Cristiano Ronaldo entre os 20 melhores colocados do ranking. O argentino - seis vezes melhor do mundo - figura na 23ª posição, com valor de 100 milhões de euros, enquanto o português - que tem cinco Bolas de Ouro - fica apenas na 70ª colocação, com valor de 63 milhões de euros. Apesar de não figurarem no topo da lista, Messi e Cristiano Ronaldo têm um aspecto positivo no ranking. Ao lado de Lewandowski, os jogadores são os únicos atletas com mais de 30 anos a aparecerem entre os 100 jogadores com mais valor de mercado.

Em relação a jogadores brasileiros, o melhor colocado é Roberto Firmino, na 11ª posição, com valor de 119 milhões. Outros oito 'brasucas' figuram entre os 50 primeiros: Gabriel Jesus (14º/113 milhões), Richarlison (27º/98 milhões), Marquinhos (33º/89 milhões), Éderson (34º/87milhões), Alisson (35º/84 milhões), Neymar (38º/83 milhões), Rodrygo (39º/82 milhões) e Coutinho (47º/76 milhões).


Várias cidades disputam para sediar as próximas finais da Copa Libertadores

Ainda sem uma definição sobre quando irá retomar as competições continentais, haja vista que a situação da pandemia de coronavírus está longe de estar controlada nos países da América do Sul, a Conmebol decidiu voltar ao noticiário com a divulgação das cidades candidatas à sede das finais em jogo único das Copas Libertadores e Sul-Americana em 2021, 2022 e 2023.

Sobre a retomada da atual edição da Libertadores, que foi paralisada após a disputa de apenas duas rodadas e cuja final está marcada para o dia 21 de novembro, no Estádio do Maracanã, nenhuma palavra. O início das Eliminatórias para a Copa do Mundo de 2022, foram adiadas até outubro deste ano.

De qualquer forma, a entidade segue trabalhando para “vender” suas próximas competições. Contando apenas com arenas que sediaram a Copa do Mundo de 2014, o Brasil é o país com mais candidatos nos três anos somados.

A Libertadores implantou o formato de final única pela primeira vez em 2019, na final entre Flamengo e River Plate, que foi disputada no estádio Monumental, em Lima, no Peru. A decisão seria realizada em Santiago, no Chile, mas uma série de violentas manifestações obrigou a Conmebol a alterar o local às vésperas da partida.

Confira os candidatos brasileiros:

Copa Libertadores:
2021: Arena da Baixada, Beira-Rio, Arena Corinthians e Morumbi
2022: Arena da Baixada, Beira-Rio, Maracanã, Arena Corinthians e Morumbi
2023: Arena da Baixada, Beira-Rio, Maracanã, Arena Corinthians e Morumbi

Copa Sul-Americana:
2021: Mané Garrincha, Arena da Baixada, Castelão, Beira-Rio, Arena Pernambuco, Maracanã e Fonte Nova
2022: Mané Garrincha, Arena da Baixada, Castelão, Beira-Rio, Arena Pernambuco, Maracanã e Fonte Nova
2023: Mané Garrincha, Arena da Baixada, Castelão, Beira-Rio, Arena Pernambuco, Maracanã e Fonte Nova

Álvaro Vilaça é formado em Comunicação Social e Marketing, apresentador de TV, ex-narrador e ex-repórter esportivo da Rádio Inconfidência de Belo Horizonte, Diretor de Programação e Coordenador de Esportes da Rádio Eldorado e do Jornal Hoje Cidade. Também é o responsável pela coluna de Esportes do Jornal Notícia e é professor de Negociação, Compras e Marketing das Faculdades Promove de Sete Lagoas. Pós-Graduado em Administração e Marketing.




Publicidade
Publicidade

Links patrocinados