Menu

Departamento Jurídico tenta recolocar Cruzeiro nos trilhos e evitar novos bloqueios / Coluna / Álvaro Vilaça / Tempo Esportivo

1º Tempo

Foto: ReproduçãoFoto: Reprodução

Ainda falta muita coisa, é verdade, mas o início de Felipão como técnico do Cruzeiro tem sido bastante positivo. O Cruzeiro está a cinco jogos sem perder. Foram três empates (diante de Oeste, Juventude e Náutico) e duas vitórias( contra Operário-PR e Paraná). Mas, o que importa para o torcedor foi a mudança de postura do time, que desde a chegada de Luiz Felipe Scolari, vem mostrando que está recuperando a confiança dentro de campo, resultando em um bom retrospecto do treinador nesta virada de turno na Série B. As falas dos atletas sobre a presença de Felipão, e sua interferência direta no rendimento do time, mostram que pode haver uma luz no fim do túnel estrelado. O próprio treinador comentou o triunfo celeste na última rodada do primeiro turno do campeonato.

“Eu não sei se encheu os olhos da torcida (a vitória contra a Paraná), porque eu não vi. Quem ficou de casa pode ter ficado satisfeito com alguma coisa, eu fiquei razoavelmente. Treinamos diversas situações. Porque taticamente, às vezes, você tem que trocar um sistema de 4-3-2-1 por um de 4-4-2, ou um 4-1-4-1. Mas como vamos fazer isso? Nessa semana daremos a eles mais informações da parte tática, cobraremos, e aí o resto é qualidade que eu acho que temos razoavelmente, e aí é melhorarmos com posicionamento. É esperar essa semana de trabalho que teremos, poderemos ter um ou dois jogadores novos que darão um pouco mais de tranquilidade e possibilidades ao nosso grupo para temos esses bons jogos a nível de pontos”.

O Cruzeiro só volta campo nesta sexta-feira, 6 de novembro, às 19h15, diante do Botafogo-SP, pela 20ª rodada, iniciando o segundo turno da Série B.

De acordo com os matemáticos, o Cruzeiro vai precisar, em média, de 42 ou 43 pontos em 57 possíveis para garantir o retorno à divisão de elite do futebol brasileiro em 2021.

2º Tempo

A pandemia do novo coronavírus trouxe grandes mudanças para o esporte ao redor do mundo. Além das alterações dos calendários dos campeonatos, outras mudanças também ocorreram, como é o caso da janela de transferências de atletas.

Algo que já era confuso antes da pandemia tinha tudo para se tornar ainda mais, após esse período de pandemia. Houve dois períodos com a janela aberta para movimentações no elenco.

O primeiro período ocorreu entre 20 de julho e 10 de agosto, e o segundo ainda está em vigência. Abriu em 13 de outubro e acabará em 9 de novembro.

Portanto, até a segunda-feira (9), os times poderão contar com novos atletas, vindos do exterior.

A primeira janela, que aconteceu de julho a agosto, foi um complemento da janela de transferências do começo do ano, que foi interrompida pelo começo da pandemia.

Já a janela que abriu em outubro deveria ter acontecido no meio do ano.

As datas foram adiadas por conta da explosão da pandemia do novo coronavírus. Durante o período de março até julho todas as transferências internacionais ficaram suspensas. Por conta disso, o período que contempla a chegada e saída de jogadores foi adiado.

O Atlético, por exemplo, corre contra o tempo para contratar o chileno Eduardo Vargas, atacante que jogou durante muitos anos como titular do selecionado de seu país e que atualmente atua no futebol mexicano. O Galo tem até segunda-feira para fazer o registro, do contrário só poderá trazê-lo no ano que vem, quando a janela abrir novamente.

Democrata perde em casa e sonho de acesso fica para 2021

Terminou no último sábado a primeira fase do Campeonato Mineiro do Módulo II. A última rodada da fase de classificação tinha a certeza de muita emoção, com brigas acontecendo na parte de cima e de baixo da tabela.

Pouso Alegre, Athletic, Betim e Nacional de Muriaé passaram de fase e vão brigar por duas vagas na elite em 2021. Betim e Nacional de Muriaé confirmaram a vaga em briga direta com outros três times. Pouso Alegre e Athetic já chegaram para a rodada classificados.

Quem se livrou da queda comemorou a permanência como um título. Enquanto o Serranense virou sobre o Democrata-SL com dois a menos aos 50 minutos do 2º tempo, o Guarani venceu o Ipatinga fora de casa para evitar o pior. O time do Vale do Aço contou com outros resultados para se manter na 'segundona'.

O descenso ficou com Mamoré e CAP Uberlândia, que vão disputar a Segunda Divisão (equivalente à terceira divisão) na próxima temporada.

Confira os resultados da última rodada

Betim 2 x 0 CAP Uberlândia
Democrata-GV 3 x 1 Pouso Alegre
Tupi 3 x 1 Mamoré
Nacional de Muriaé 3 x 1 Athletic
Democrata-SL 1 x 2 Serranense
Ipatinga 1 x 2 Guarani

O Democrata Jacaré entrou na última rodada precisando de uma combinação de resultados para chegar ao quadrangular final. Contudo, o time perdeu em casa para o Serranense e ainda que tivesse vencido, não teria atingido o objetivo, já que a sequência de resultados foi desfavorável com os triunfos do Democrata Pantera e Nacional de Muriaé. De toda forma, o time de Sete Lagoas fez uma campanha melhor do que nos dois últimos anos e chegou até a rodada final com chances de classificação. Agora é consolidar o projeto que foi bem executado ao longo deste ano e buscar, novamente, o acesso em 2021. O Democrata vai completar 13 anos longe da divisão de elite do futebol mineiro.

Veja a classificação após o encerramento da primeira fase:

Pos. Equipe PG J V E D GP GC SG %
1º POUSO ALEGRE 21 11 6 3 2 14 11 3 64
2º ATHLETIC CLUB 20 11 6 2 3 19 11 8 61
3º BETIM FUTEBOL 20 11 6 2 3 13 9 4 61
4º NAC MURIAÉ 18 11 5 3 3 15 9 6 55
5º DEMOCRATA GV 18 11 5 3 3 10 8 2 55
6º TUPI 15 11 4 3 4 15 13 2 45
7º DEMOCRATA SL 14 11 3 5 3 14 11 3 42
8º GUARANI 13 11 4 1 6 8 20 -12 39
9º SERRANENSE 12 11 3 3 5 8 11 -3 36
10º IPATINGA 11 11 3 2 6 13 14 -1 33
11º CAP UBERLÂNDIA 10 11 3 1 7 8 13 -5 30
12º MAMORÉ 09 11 1 6 4 6 13 -7 27
PG: Pontos Ganhos | J: Jogos | V: Vitórias | E: Empates | D: Derrotas | GP: Gols Pró | GC: Gols Sofridos | SG: Saldo de Gols | %: Aproveitamento

Departamento Jurídico tenta recolocar Cruzeiro nos trilhos e evitar novos bloqueios

O trabalho é hercúleo e ainda vai levar bastante tempo para ser resolvido, ainda que parcialmente. Contudo, o primeiro passo para o Cruzeiro conseguir alternativas para equacionar o passivo trabalhista do clube foi dado. Na última semana, representantes do clube estiveram na sede do Tribunal Regional do Trabalho de Minas Gerais (TRT-MG). Na reunião inicial, o objetivo foi apresentar o cenário da situação do Cruzeiro junto à justiça.

No mês passado, durante uma live, o presidente do Cruzeiro, Sérgio Santos Rodrigues, revelou que o passivo trabalhista do clube está entre R$ 130 milhões e R$ 150 milhões. Algumas ações já estão em execução e causam pedidos de bloqueios nas contas. Esse valor ainda pode aumentar devido a processos que serão sentenciados no futuro. No momento existem 156 processos em tra mitação contra o Cruzeiro.

Nos primeiros meses de mandato, a gestão de Sérgio Santos Rodrigues fechou alguns acordos individuais na Justiça do Trabalho. Agora, segundo o presidente, umas das possibilidades é um acerto coletivo que teria o pagamento centralizado no TRT.

Na semana passada, o Cruzeiro fechou com a Procuradoria Geral da Fazenda Nacional o parcelamento da dívida do clube com a União. Por meio da transação tributária, a diretoria conseguiu um desconto de 54% sobre o valor que estava inscrito na dívida ativa, reduzindo esse passivo em R$ 152 milhões. A diretoria também vem solucionando dívidas em processos que tramitam na Fifa.

Álvaro Vilaça é formado em Comunicação Social e Marketing, apresentador de TV, ex-narrador e ex-repórter esportivo da Rádio Inconfidência de Belo Horizonte, Diretor de Programação e Coordenador de Esportes da Rádio Eldorado e do Jornal Hoje Cidade. Também é o responsável pela coluna de Esportes do Jornal Notícia e é professor de Negociação, Compras e Marketing das Faculdades Promove de Sete Lagoas. Pós-Graduado em Administração e Marketing.





Publicidade

Links patrocinados